Google+ Followers

segunda-feira, 16 de abril de 2018

#BRAZILIAN SUPREME COURT (STF) WOULD BE VIOLATING THE AGREEMENT “THE LIMA COMMITMENT”(VIII Summit of the Americas ) IF IT REVIEW THE SECOND INSTANCE PRISON IN BRAZIL?


LINK: https://youtu.be/wPzZmnNTDts




#BRAZILIAN SUPREME COURT (STF) WOULD BE VIOLATING THE AGREEMENT “THE LIMA COMMITMENT”(VIII Summit of the Americas ) IF  IT REVIEW THE SECOND INSTANCE  PRISON IN BRAZIL?

STF NA CONTRA-MÃO ESTARIA VIOLANDO A “CARTA DE COMPROMISSO” DE LIMA (CÚPULA DAS AMERICAS) SE STF REVISAR A PRISÃO EM SEGUNDA ISTÂNCIA  NO BRASIL?

LINK: https://youtu.be/wPzZmnNTDts


COMMENT

Jurist Luiz Flávio Gomes draws an illuminating panorama of the decision of the Federal Supreme Court, when by 6 votes to 5 decided that the fulfillment of the sentence, being confirmed in the second instance, could be executed.

Luiz Flávio identifies two groups of defendants attained by the lava-jet operation, so that imprisonment can take effect. The first group composed of the elements able to comply with punishment with a confirmatory decision of second degree. The other group has a slower legal process. It is the so-called privileged forum, those with the right to be tried by the highest courts of the judiciary. Those, from a privileged forum, have the legal prerogative to be judged by the STJ or STF. And in these two instances, the procedure is much slower. The group that does not have privileged forum are the people who can come to fulfill the sentence when the second instance of the judiciary confirms the sentence of first degree.

From the initiation of the investigation with evidence of the materiality of the crime, through denunciation, prosecution, hearings and sentence, to those who do not have a privileged forum, are strong candidates to quickly fulfill the sentence of condemnatory sentence. The other group, on the other hand, has the slowness of the higher authorities, and has the benefit of responding to a process that may drag on for years.



==//==



COMENTÁRIO





O Jurista Luiz Flávio Gomes traça um panorama esclarecedor da decisão legitimidade do Supremo Tribunal Federal, quando por 6 votos à 5 decidiu que o cumprimento da pena, sendo confirmada em segunda instância, poderá ser executada. 

Luiz Flávio identifica dois grupos de réus alcançados pela operação lava jato, para que o encarceramento possa se efetivar. O primeiro grupo composto dos elementos aptos à cumprir pena com decisão confirmatória de segundo grau. O outro grupo dispõe de uma tramitação mais lenta do judiciário. Trata-se do chamado foro privilegiado, esses com direito de serem julgados pelas instâncias superiores do judiciário. Esses, de foro privilegiado, têm a prerrogativa legal de serem julgados pelo STJ ou STF. E nessas duas instâncias, a tramitação processual é muito mais lenta. O grupo que não possui foro privilegiado são as pessoas que podem a vir cumprir a pena quando a segunda instância do judiciário confirma a sentença de primeiro grau.

Da instauração do inquérito com levantamento de provas da materialidade do delito, passando pela denúncia, instauração do processo, audiências e sentença, aos que não possuem foro privilegiado, são fortes candidatos à rapidamente cumprirem a pena de sentença condenatória. Já o outro grupo dispõe da morosidade das instâncias superiores, e tem o benefício de responderem a processo que pode se arrastar por anos.  





==//==

LINK: http://luizflaviogomes.com/execucao-imediata-apena-apos-2o-grau-pode-alcancar-lula-cunha-e-others-politicos-and-entrepreneurs-petrobras-da-era-fhc- will-be investigated /



Immediate execution of the sentence ... Controversial issues by Professor Luiz Flávio Gomes 

Read also my entire article: http: 

Immediate execution of the penalty after 2nd degree can reach Lula, Cunha and other politicians and businessmen. Petrobras of the FHC era will be investigated.

Home Vigilant Citizenship Immediate execution of the sentence after 2nd degree can reach Lula, Cunha and other politicians and businessmen. Petrobras of the FHC era will be investigated.

Citizenship Vigilante Legal Content End of professional politician Opinion Immediate execution of the penalty after 2nd degree can reach Lula, Cunha and other politicians and businessmen. Petrobras of the FHC era will be investigated.

Lula, Cunha and all the other defendants in the Operation Car Wash who are being processed in the first degree can be reached by the decision of the STF that confirmed the understanding (6 votes to 5, on 10/5/16) that it is possible the immediate execution of the penalty after a conviction of two instances (on facts, evidence and law).

We can identify two groups of defendants in the Lava Jet: those who can go to jail on a "fast" (express) route and those who can go to jail on the slow route.

What's the difference? It is important to distinguish those who have privileged jurisdiction in the higher courts from those being prosecuted in the first instance (Curitiba, São Paulo, DF, etc.).

The defendants with a privileged forum are judged, above all, by the STF, which is taking more than 600 days to receive a complaint. It takes more than a thousand days to decide the process. More than 1,500 days for final res judicata. The arrest, in such cases, may take up to 4 or 5 years.



Politicians and businessmen who are being tried in the first instance can be reached by arrest faster if there is a first degree conviction and a second degree conviction.

Two are the practical implications after the second degree conviction: immediate execution of the sentence and ineligibility. Many politicians may be unable to run for the next elections. Cunha, by the way, has already been barred for eight years (because he has been revoked).



The political group that has lost the privileged forum (which has come out of power) will be affected more quickly by these effects. The political party that has already been betrayed, but that is in power (Temer, Aécio, Serra, Renan, Jucá, etc.), will be judged (after positive investigations) more slowly.



Complaint against Renan Calheiros

After more than 1,300 days, the STF will decide whether or not to receive the complaint against Renan Calheiros, who was accused of having expenses of a daughter with the journalist Mônica Veloso, who is being held by a contractor (Mendes Júnior). It will be up to the president of the Supreme Court, Minister Carmen Lúcia, to mark the date of the trial.

Renan is accused of crimes of embezzlement, ideological falsehood and use of false documents for allegedly receiving bribes from the construction company. Some crimes have already been prescribed. The facts are of 2007. The kleptocracy is not only a government where there are thieves, more than that, it is also the system of government in which the institutions cover or foment the enrichment or the favoring of the ruling castes of the country.

Corruption scheme at Petrobras in the Fernando Henrique Cardodo (FHC) Era

PF opened an investigation to determine the alleged corruption scheme in the purchase of thermoelectric plants by Petrobrás, from 1999 to 2001 (FHC Government). The stretch involved Alstom / GE and NRG. Alstom has already made an award and has already confessed several crimes (also in relation to the SP subway).



The investigation is part of the demarcation of the former director of the International area of ​​Petrobrás Nestor Cerveró, who, in the 1990s, was the energy manager of the state petroleum company's Industrial Department.

Eventual crimes, of course, will be prescribed. In kleptocratic countries the investigative-judicial system, in a certain way, covers the crimes of the untouchable castes. This scenario must be completely changed (because it places some citizens above the law).



Proceedings against Governor need authorization from the Legislative Assembly



By 8 votes to 6, the Special Court of the STJ (Superior Court of Justice) ruled (5/10/16) that the criminal action against governor can only be opened after authorization of the Legislative Assembly. Two-thirds of the House votes are required to allow criminal action. If there is no authorization, the action does not start. After the expiry of the mandate there is no need to speak about legislative authorization.

This requirement is necessary even if the State Constitution (case of Minas Gerais, for example) does not provide for the authorization of the Legislative Assembly. If it is necessary in relation to the president of the Republic, so would the governor (principle of symmetry).



This is a remnant of aristocratic Brazil (and a stimulus to impunity). In a republic everyone should be treated equally (in the criminal field, of course). There is a lot of legislative work ahead of us to eliminate legal privileges. The correct thing is always to allow the process to start without any authorization. If there is an accusatory abuse, the defendant has numerous legal instruments to stop the embarrassment.

Previous article Lava Jato: internal turbulence. The PF sector does not want new donations. "PP, PT and PMDB are one and the same criminal organization" (Janot).

Next article Brazil is the 4th most corrupt country in the world (says World Economic Forum). Our political, economic and financial leadership remains deplorable.

Luiz Flávio Gomesurist and creator of the Movement # QueroUmBrasilÉtico. Chief Executive Officer of the Luiz Flávio Gomes Mediation Institute. PhD in Criminal Law from the Faculty of Law of the Universidad Complutense de Madrid. Master in Criminal Law from the Faculty of Law of the University of São Paulo.


See too


Prison after 2nd degree: hard blow in robbery

It is correct to convict the convict after the second degree, but the decision of the STF has to be substi ...

About

Luiz Flávio Gomes holds a PhD in Criminal Law from the Faculty of Law of Complutense University of Madrid (2001) and a Master's Degree in Criminal Law from the USP Law School (1989). Creator of the Movement I want an Ethical Brazil. Jurist and professor in several national and international graduate courses, among them the Faculty of Law of Universidad Austral, Buenos Aires (Argentina), having already published more than 57 books in the legal area. He is also a member of the CP Reform Commission and Honorary Professor of the Catholic University of Santa Maria (Arequipa / Peru). He worked as Promoter of Justice in São Paulo, from 1980 to 1983; Judge of Law, from 1983 to 1998; and Lawyer, from 1999 to 2001.

    • Home

    • About

    • I want a Braille

    • Photo gallery

    • Published Works

    • Plans for an Ethical Brazil

    • Contact Us

© Copyright 2018, All rights reserved.


==//==

SOURCE/LINK: https://brazilian.report/2018/04/13/operation-car-wash-latin-america/

Power Apr 13, 2018 
How Operation Car Wash changed Latin American politics 
BY Gustavo Ribeiro 
The Summit of the Americas happens in the wake of Operation Car Wash.
Lima, the Peruvian capital, hosts today and tomorrow (April 13 and 14) the Summit of the Americas. The event, which has no fixed periodicity, is an opportunity for leaders of the region to discuss how to tackle their most urgent challenges. But the 8th edition of the summit will showcase the political turmoil that Latin American countries have been experiencing for the last few years.
The host country is facing something already well known to Brazilians. The country has been engulfed by corruption scandals involving the Odebrecht construction company, and its president lost power after being accused of receiving millions in bribes. Meanwhile, Brazil’s most popular leader has just gone to jail for receiving a beachfront apartment as a kickback from another construction group.
At this point, the meeting’s official theme of “democratic governance fighting corruption” almost seems like a mean-spirited joke.
Read the full story NOW!
Start your 14-day free trial 
Login 
Subscribe 
    • 
Tags: Lula, Diplomacy, Corruption, Operation Car Wash 


About the author
Gustavo Ribeiro 
An award-winning journalist with experience covering Brazilian politics and international affairs. His work has been featured across Brazilian and French media outlets. 
    • Search for:  
        ◦ BY THE SAME AUTHOR
        ◦ Without Lula, what does the Brazilian left plan to do? 
        ◦ Supreme Court rules to arrest former president Lula 
        ◦ Pro- and anti-Lula camps are vehement in their beliefs, but whose reasoning adds up? 
        ◦ How much does a congressman cost in Brazil? 
        ◦ Meet Flávio Rocha, Brazil’s newest presidential hopeful 
        ◦ YOU SHOULD ALSO READ
        ◦ Operation Car Wash: from gas stations to the heart of the Republic
        ◦ Netflix takes on Operation Car Wash, but falls flat
        ◦ Lula: a clash between the time of politics and the time of Justice
        ◦ Federal Police launch new operation targeting Brazilian meat producers

        ◦ About us 
        ◦ Our services & offers 
        ◦ 8 (good) reasons to subscribe 
        ◦ Contact us 
        ◦ FAQ 
        ◦ Terms of use 
© 2018 The Brazilian Report

      
==//==


SOURCE / LINK: 
http://www.jornaljurid.com.br/noticias/juicios-e-promotores-defendem-supremo-fribunalal-prisao-de-condenados-em-2en-instancia



Judges and prosecutors plead in the Supreme Court ...

www.jornaljurid.com.br

Members of the Judiciary and MP delivered undersigned. STF resumes in the fourth trial of Lula's habeas corpus.


Privacy Policy | Portal of Legal News Services to the Law Professional

    • News

    • Authors

    • Speakers

    • Doctrine

    • Jurisprudence

    • Legislation

    • Models

    • Questions and answers

    • Judgments

Posted on April 02, 2018 - 16:38 - Read 172 times

Judges and prosecutors defend in the Supreme Federal Court prison of convicts in the lower court -

Members of the Judiciary and MP delivered undersigned. STF resumes in the fourth trial of Lula's habeas corpus.

Source: G1

Reviews: (0)



Playback: pixabay.com

Members of the Public Prosecutor's Office and the Judiciary handed over a petition signed on Monday afternoon (2) to the Federal Supreme Court (STF) with more than 5,000 signatures containing arguments in favor of maintaining the possibility of imprisonment of convicted persons at second instance .

The STF judges this fourth (4) preventive habeas corpus of former President Luiz Inacio Lula da Silva, sentenced by the Federal Regional Court of the 4th Region (TRF-4) in the case of the triplex in Guarujá, to 12 years and a month imprisonment in closed regime. The appeal tries to prevent Lula from being arrested before all possible remedies have been tried in court. The TRF-4 determined the immediate fulfillment of the prison sentence, based on the current position of the STF.

Among the signatories of the document, entitled technical note, are Lava Jato prosecutor in Curitiba, Deltan Dalagnol, and former Attorney General Rodrigo Janot.

According to prosecutor Renato Varalda, who participated in the delivery of the petition on Monday afternoon, the concern is not with Lula's specific case, but with the "cascade effect" that a change of position of the Court can cause.

"This petition came from a group of prosecutors and prosecutors concerned about the impunity and the high crime rate in Brazil, so that it sensitizes the Supreme Court so that it does not alter the jurisprudence already of the supreme itself in order to enable provisional execution after the conviction in the second degree, "he said. "The concern is to have a cascade effect, in which there is the release of homicides, latrocidas, pedófilos, rapists, traffickers," he said.

According to the technical note, imprisonment following a conviction at second instance does not violate the principle of the presumption of innocence. "There is no justification for the STF to change its decision, in the sense that it is legally appropriate to the Constitution of the Republic to initiate compliance with the criminal sanction from the conviction of the lower court. The change in jurisprudence, in this case, will imply the release of countless convicted persons, whether for crimes of corruption or for violent crimes, such as rape, robbery, murder, etc. "

The trial of Lula's habeas corpus will only apply to the specific case of the former president, but may indicate a change in the Court's position on the possibility of arrest after a conviction in second instance.

This understanding was signed by the Court in 2016, but two generic actions on the subject are still pending final judgment by the plenary. Minister Cármen Lúcia, president of the STF, has already stated that she does not intend to guide these actions. According to her, only two years ago the Supreme Court considered the matter.

Keywords: STF Prison Second Instance Operation Lava Jato Lula Habeas Preventive Corpus Under-signed


Print out

Previous matter

Next subject

See too


==//==


SOURCE/LINK: http://www.citizengo.org/pt-pt/160428-manutencao-da-jurisprudencia-da-prisao-apos-condenacao-em-segunda-instancia?m=5&tcid=47038271


DeutschEnglishEnglish-AfricaEnglish-AustraliaEnglish-CanadaEnglish-EuropeEnglish-United KingdomEnglish-United StatesEspañolEspañol-América LatinaEspañol-ArgentinaEspañol-ChileEspañol-EspañaEspañol-MéxicoFrançaisHrvatskiItalianoMagyarNederlandsPolskiPortuguêsPortuguês-BrasilSlovenčinaРусский


    • PÁGINA INICIAL

    • CONHEÇA-NOS

    • CAMPANHAS

    • SALA DE IMPRENSA

    • DOAR

    • MEMBRO



PETIÇÃO DIRIGIDA A: MINISTRA CARMEN LUCIA



a manutenção da jurisprudência da prisão após condenação em segunda instância

ANTES DE SAIR...

Obrigado por assinar! Agora, compartilhe!

  FACEBOOK

Enviar para seus amigos do Facebook

  E-MAIL

Enviar um e-mail para sua família e amigos

  TWITTER

Compartilhar no Twitter

Petição dirigida a: Ministra Carmen Lucia

a manutenção da jurisprudência da prisão após condenação em segunda instância

Atenciosamente,

[Seu nome]



    • © 2017 CitizenGO 

    • · 

    • Política de privacidade 

    • · 

    • Termos de uso 

    • · 

    • Cookies 

    • · 

    • Contato 

    • · 

    • Ajuda 

    •  

    • 







==//==



SOURCE/LINK: http://www.vianoticias.blog.br/mpf-denuncia-sergia-miranda-fraude-na-simcol-deve-investigar-caio-asfor/

MPF(Brazilian Federal Prosecutions Office)  denounces Sérgia Miranda for fraud at Simcol and should investigate Caio Asfor

November 27, 2017 Walter Bardawil

Offices "Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria" and "Rocha, Marinho e Sales" would be linked by means of operating behind a particular type naive person offering to represent another in an illegal activity "straw" man (in portuguese “laranjas”)



The Federal Public Prosecutor's Office (MPF), through the Deputy Attorney General, Luciano Mariz Maia, offered the Superior Court of Justice (STJ) a crime against the Sérgia Maria Mendonça Miranda district attorney for fraud involving the failed bankruptcy of Simcol (building company undergoing bankruptcy).



She dispatched an injunction and wrongly ordered (in one of her shifts) the payment of a check in the amount of one million, one hundred and nineteen thousand, nine hundred and thirty-two reais and one centavo to the office "Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria", which, at the time, in May 2013, had provided legal services to the company.

In addition to Sérgia, Frankraley Oliveira Gomes - boyfriend of the judge at the time -, Paulo Fernando Mendonça and Claudia Adrienne Sampaio de Oliveira are enrolled.

Check out excerpt from MPF complaint.

Orange Partnership

SIMCOL would also have been harmed, in a criminal manner, through another injunction of the same adjudicator. The company was forced to pay very high amounts (over R $ 1 million) to the law firm "Rocha, Marinho e Sales", owned by attorney Caio Asfor.



The payment was made by means of an "orange" connected to the "Sampaio, Tavares Advocacia e Consultoria" office.



The denunciation was sent to the Minister of STJ, Herman Benjamin, by the businessman Gilberto Martins Borges, majority partner and representative of the bankrupt company.



Part of the document of Gilberto Borges below.















==//==





SOURCE/LINK: https://youtu.be/wPzZmnNTDts





Execução imediata da pena… Questões controvertidas



5.475 visualizações







6146COMPARTILHAR









ProfessorLFG

Publicado em 18 de nov de 2016



INSCRITO 47 MIL



Execução imediata da pena… Questões controvertidas Professor Luiz Flávio Gomes Leia também meu artigo na integra: http://luizflaviogomes.com/stf-admite... www.luizflaviogomes.com



==//==


LINK: http://luizflaviogomes.com/execucao-imediata-da-pena-apos-2o-grau-pode-alcancar-lula-cunha-e-outros-politicos-e-empresarios-petrobras-da-era-fhc-sera-investigada/


Execução imediata da pena após 2º grau pode alcançar Lula ...

luizflaviogomes.com

Execução imediata da pena após 2º grau pode alcançar Lula, Cunha e outros políticos e empresários. Petrobras da era FHC será investigada.





Pesquisar por:  

    • Home 

    • Sobre 

    • #QueroUmBrasilÉtico 

    • Galeria de Fotos 

    • Obras Publicadas 

    • Planos para um Brasil Ético 

    • Contato 



sexta-feira, 13 abril 2018 

    • Home 

    • Sobre 

    • #QueroUmBrasilÉtico 

    • Galeria de Fotos 

    • Obras Publicadas 

    • Planos para um Brasil Ético 

    • Contato 









Home Cidadania Vigilante Execução imediata da pena após 2º grau pode alcançar Lula, Cunha e outros políticos e empresários. Petrobras da era FHC será investigada.

Cidadania Vigilante Conteúdo Jurídico Fim do político profissional Opinião 

Execução imediata da pena após 2º grau pode alcançar Lula, Cunha e outros políticos e empresários. Petrobras da era FHC será investigada.

Postado em 6 de outubro de 2016

8 min leitura

Sem comentários

0

365 

    • Tweet 

    • Compartilhar 0 

    • 

Lula, Cunha e todos os demais réus na Lava Jato que estão sendo processados em primeiro grau podem ser alcançados pela decisão do STF que confirmou o entendimento (6 votos a 5, em 5/10/16) de que é possível a imediata execução da pena após decisão condenatória de duas instâncias (sobre os fatos, as provas e o direito).

Podemos individualizar dois grupos de réus na Lava Jato: os que poderão ir para a cadeia numa via “rápida” (expressa) e os que poderão ir para a cadeia pela via lenta.

Qual a diferença? É importante distinguir os que têm foro privilegiado nos tribunais superiores dos que estão sendo processados em primeira instância (Curitiba, São Paulo, DF etc.).

Os réus com foro privilegiado são julgados, sobretudo, pelo STF, que está demorando mais de 600 dias para receber uma denúncia. Ele demora mais de mil dias para decidir o processo. Mais de 1.500 dias para o trânsito em julgado final. A prisão, nesses casos, poderá demorar até 4 ou 5 anos.

Políticos e empresários que estão sendo processados em primeira instância podem ser alcançados pela prisão mais rapidamente, caso haja condenação em primeiro grau e confirmação em segundo grau.

Duas são as implicações práticas depois da condenação em segundo grau: execução imediata da pena e inelegibilidade. Muitos políticos poderão ficar impedidos de disputar as próximas eleições. Cunha, aliás, já está impedido por oito anos (porque foi cassado).

O grupo político que perdeu o foro privilegiado (que saiu do poder) será afetado mais rapidamente por esses efeitos. O grupo político já delatado, mas que está no poder (Temer, Aécio, Serra, Renan, Jucá etc.), será julgado (depois de positivas as investigações) de forma mais lenta.

Denúncia contra Renan Calheiros

Depois de mais de 1.300 dias finalmente o STF irá decidir se recebe ou não a denúncia oferecida contra Renan Calheiros, que foi acusado de ter despesas de uma filha com a jornalista Mônica Veloso bancadas por uma empreiteira (Mendes Júnior). Caberá à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, marcar a data do julgamento.

Renan é acusado por crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso por supostamente ter recebido propina da construtora. Alguns crimes já prescreveram. Os fatos são de 2007. A cleptocracia não é apenas um governo onde existem ladrões, mais que isso, é também o sistema de governo em que as instituições acobertam ou fomentam o enriquecimento ou o favorecimento das castas dirigentes do país.

Esquema de corrupção na Petrobras na era FHC

A PF abriu inquérito para apurar o delatado esquema de corrupção na compra de termoelétricas pela Petrobrás, no período de 1999 a 2001 (Governo FHC). A tramoia envolveu as empresas Alstom/GE e NRG. Alstom já fez delação premiada e já confessou vários crimes (também em relação ao metrô de SP).

A investigação parte da delação do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró, que, na década de 1990, era gerente de energia do Departamento Industrial da estatal petrolífera.

Eventuais crimes, certamente, estarão prescritos. Nos países cleptocratas o sistema investigativo-judicial, de certa maneira, acoberta os delitos das castas intocáveis. Esse cenário deve ser completamente alterado (porque coloca alguns cidadãos acima da lei).

Processo contra Governador precisa de autorização da Assembleia Legislativa

Por 8 votos a 6, a Corte Especial do STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu (5/10/16) que a ação penal contra governador só pode ser aberta após autorização da Assembleia Legislativa. São necessários os votos de dois terços da Casa para se permitir a ação penal. Não havendo autorização a ação não se inicia. Depois de extinto do mandato não há que se falar em autorização legislativa.

Essa exigência é necessária mesmo que a Constituição Estadual (caso de Minas Gerais, por exemplo) não preveja a necessidade de autorização da Assembleia Legislativa. Se ela é necessária em relação ao presidente da República, também o seria quanto ao governador (princípio da simetria).

Isso é resquício do Brasil aristocrata (e estímulo à impunidade). Numa República todos deveriam ser tratados de forma igual (no campo criminal, desde logo). Há muito trabalho legislativo pela frente para que sejam eliminados os privilégios legais. O correto é sempre permitir o início do processo, sem nenhuma autorização. Havendo abuso acusatório o réu conta com inúmeros instrumentos legais para fazer cessar o constrangimento.





Artigo anterior Lava Jato: turbulências internas. Setor da PF não quer novas delações. “PP, PT e PMDB são uma mesma organização criminosa” (Janot). 

Próximo artigo Brasil é o 4º país mais corrupto do mundo (diz Fórum Econômico Mundial). Nossas lideranças políticas, econômicas e financeiras continuam deploráveis. 

Luiz Flávio Gomes 

Jurista e criador do Movimento #QueroUmBrasilÉtico. Diretor-presidente do Instituto de Mediação Luiz Flávio Gomes. Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri. Mestre em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. 



Veja Também 

Prisão após 2º grau: duro golpe na roubocracia

É correta a prisão do condenado depois do 2º grau, mas a decisão do STF tem que ser substi…

Sobre

Luiz Flávio Gomes é Doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri (2001) e Mestre em Direito Penal pela Faculdade de Direito da USP (1989). Criador do Movimento Quero um Brasil Ético. Jurista e professor em vários cursos de pós-graduação nacionais e internacionais, entre eles a Facultad de Derecho de la Universidad Austral, Buenos Aires (Argentina), já tendo publicado mais de 57 livros na área jurídica. É também membro da Comissão de Reforma do CP e Professor Honorário da Faculdade de Direito da Universidad Católica de Santa María (Arequipa/Peru). Atuou como Promotor de Justiça em São Paulo, de 1980 a 1983; Juiz de Direito, de 1983 a 1998; e Advogado, de 1999 a 2001. 

    • Home 

    • Sobre 

    • #QueroUmBrasilÉtico 

    • Galeria de Fotos 

    • Obras Publicadas 

    • Planos para um Brasil Ético 

    • Contato 

© Copyright 2018, Todos os direitos reservados. 





Curta-nos no Facebook e receba notícias gratuitamente em sua timeline



==//== 



O relatório brasileiro



    Se inscrever

    Artigos

    Podcast

    Sobre nós

    Nossos serviços e ofertas

    Separador

    Facebook

    Twitter

    Linkedin

    Separador

    Entrar



Poder

13 de abril de 2018

Como a Operação Lava Jato mudou a política latino-americana

DE Gustavo Ribeiro

Como a Operação Lava Jato mudou a política latino-americana



A Cúpula das Américas acontece na sequência da Operação Lava Jato.



Lima, a capital peruana, acolhe hoje e amanhã (13 e 14 de abril) a Cúpula das Américas. O evento, que não tem periodicidade fixa, é uma oportunidade para os líderes da região discutirem como enfrentar seus desafios mais urgentes. Mas a 8ª edição da cúpula mostrará a agitação política que os países latino-americanos vêm experimentando nos últimos anos.



O país anfitrião está enfrentando algo já bem conhecido pelos brasileiros. O país foi envolvido por escândalos de corrupção envolvendo a construtora Odebrecht e seu presidente perdeu o poder após ser acusado de receber milhões em propinas. Enquanto isso, o líder mais popular do Brasil acaba de ser preso por receber um apartamento à beira-mar como uma recompensa de outro grupo de construção.



Neste ponto, o tema oficial da reunião de “governança democrática lutando contra a corrupção” quase parece uma piada mesquinha.



Leia a história completa AGORA!

Comece sua avaliação gratuita de 14 dias

Entrar

Se inscrever



Tags: Lula, Diplomacia, Corrupção, Operação Lava Jato

Sobre o autor

Gustavo Ribeiro



Um jornalista premiado com experiência em cobertura da política brasileira e assuntos internacionais. Seu trabalho foi apresentado nos meios de comunicação brasileiros e franceses.



    Procurar por:



    PELO MESMO AUTOR

        Sem Lula, o que a esquerda brasileira pretende fazer?

        Suprema Corte decide prender o ex-presidente Lula

        Os campos pró e anti-Lula são veementes em suas crenças, mas cujo raciocínio se soma?

        Quanto custa um congressista no Brasil?

        Conheça Flávio Rocha, o mais novo promissor presidencial do Brasil

    VOCÊ TAMBÉM DEVE LER

        Operação Lava Jato : de postos de gasolina para o coração da República

        Netflix assume a Operação Lava Jato, mas cai

        Lula: um embate entre o tempo da política e o tempo da justiça

        Polícia Federal lança nova operação para produtores brasileiros de carne



O relatório brasileiro



        Sobre nós

        Nossos serviços e ofertas



        8 (boas) razões para se inscrever

        Contate-Nos



        Perguntas frequentes

        Termos de uso



© 2018 O Relatório Brasileiro





==//==



SOURCE/LINK: http://www.jornaljurid.com.br/noticias/juizes-e-promotores-defendem-no-supremo-tribunal-federal-prisao-de-condenados-em-2a-instancia







Juízes e promotores defendem no Supremo Tribunal Federal ...

www.jornaljurid.com.br

Membros do Judiciário e MP entregaram abaixo-assinado. STF retoma na quarta julgamento de habeas corpus de Lula.







Jornal Jurid | Portal de Notícias Jurídicas Serviços ao Profissional do Direito 

    • Noticias

    • Autores

    • Colunas 

    • Doutrina 

    • Jurisprudência 

    • Legislação 

    • Modelos 

    • Perguntas e Respostas 

    • Sentenças 

Postado em 02 de Abril de 2018 - 16:38 - Lida 172 vezes 

Juízes e promotores defendem no Supremo Tribunal Federal prisão de condenados em 2ª instância - 

Membros do Judiciário e MP entregaram abaixo-assinado. STF retoma na quarta julgamento de habeas corpus de Lula.

Fonte: G1

Comentários: (0)



Reprodução: pixabay.com

Membros do Ministério Público e do Poder Judiciário entregaram na tarde desta segunda-feira (2) no Supremo Tribunal Federal (STF) um abaixo-assinado com mais de cinco mil assinaturas contendo argumentos a favor da manutenção da possibilidade de prisão de condenados em segunda instância.

O STF julga nesta quarta (4) habeas corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no caso do triplex em Guarujá, a 12 anos e um mês de prisão em regime fechado. O recurso tenta impedir que Lula seja preso antes de julgados todos os recursos possíveis na Justiça. O TRF-4 determinou o cumprimento imediato da pena de prisão, baseado no atual posicionamento do STF.

Entre os signatários do documento, intitulado nota técnica, estão o procurador da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dalagnol, e o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Segundo o promotor de Justiça Renato Varalda, que participou da entrega do abaixo-assinado na tarde desta segunda, a preocupação não é com o caso específico de Lula, mas com o “efeito cascata” que uma mudança de posicionamento da Corte pode causar.

“Esse abaixo-assinado partiu de um grupo de promotores e procuradores preocupado com a impunidade e com o grande índice de criminalidade do brasil, para que sensibilize o STF para que não altere a jurisprudência já do próprio supremo no sentido de possibilitar a execução provisória após a condenação em segundo grau”, afirmou. “A preocupação é haver um efeito cascata, em que haja a liberação de homicidas, latrocidas, pedófilos, estupradores, traficantes”, disse.

Segundo a nota técnica, a prisão após uma condenação em segunda instância não fere o princípio da presunção de inocência. “Nada justifica que o STF altere o que vem decidindo, no sentido de que é juridicamente adequado à Constituição da República o início do cumprimento da sanção penal a partir da decisão condenatória de 2ª instância. A mudança da jurisprudência, nesse caso, implicará a liberação de inúmeros condenados, seja por crimes de corrupção, seja por delitos violentos, tais como estupro, roubo, homicídio etc”, diz o texto.

O julgamento do habeas corpus de Lula valerá apenas para o caso específico do ex-presidente, mas pode indicar uma mudança no posicionamento da Corte sobre a possibilidade de prisão após uma condenação em segunda instância.

Esse entendimento foi firmado pela Corte em 2016, mas ainda estão pendentes de julgamento definitivo pelo plenário duas ações genéricas sobre o tema. A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, já afirmou que não pretende pautar essas ações. Segundo ela, faz apenas dois anos que o Supremo analisou a questão.

Palavras-chave: STF Prisão Segunda Instância Operação Lava Jato Lula Habeas Corpus Preventivo Abaixo-assinado 

    • 

    • 

    • 

    • 

Imprimir

Matéria anterior 

Próxima matéria 

Veja Também





==//==

SOURCE/LINK: http://www.expressoceara.com.br/noticias/justica/em-entrevista-no-ano-de-2016-quando-toffoli-defendia-a-prisao-em-2a-instancia







Em entrevista, no ano de 2016, quando Toffoli defendia a prisão em 2ª instância | Expresso Ceará

www.expressoceara.com.br

&





13 de abril de 2018



Em entrevista, no ano de 2016, quando Toffoli defendia a prisão em 2ª instância|





==//==



SOURCE/LINK: http://www.vianoticias.blog.br/mpf-denuncia-sergia-miranda-fraude-na-simcol-deve-investigar-caio-asfor/

MPF denuncia Sérgia Miranda por fraude na Simcol e deve investigar Caio Asfor

Novembro 27, 2017 Walter Bardawil



Escritórios “Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria” e “Rocha, Marinho e Sales” estariam ligados por meio de laranjas

O Ministério Público Federal (MPF), através do vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, ofereceu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) denúncia crime contra a desembargadora cearense Sérgia Maria Mendonça Miranda por fraude envolvendo a massa falida da Simcol.

Ela despachou liminar e ordenou, indevidamente (em um de seus plantões), o pagamento de cheque no valor de R$ 1.119.932,01 (hum milhão, cento e dezenove mil, novecentos e trinta e dois reais e um centavo) ao escritório “Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria”, que, na época, em maio de 2013, havia prestado serviços advocatícios à empresa.

Além de Sérgia, estão enrolados Frankraley Oliveira Gomes – namorado da desembargadora à época -, Paulo Fernando Mendonça e Cláudia Adrienne Sampaio de Oliveira.

Confira trecho da denúncia do MPF



Parceria Laranja

A SIMCOL teria sido também prejudicada, de forma criminosa, através de outra liminar  da mesma desembargadora. A empresa foi forçada a efetuar o pagamento  de valores altíssimos (superiores a R$ 1 milhão) ao escritório de advocacia “Rocha, Marinho e Sales”, pertencente ao advogado Caio Asfor. 

O pagamento se deu por meio de um “laranja” ligado ao escritório “Sampaio, Tavares Advocacia e Consultoria”.  

A denúncia  foi encaminhada ao ministro do STJ, Herman Benjamin, pelo empresário Gilberto Martins Borges, sócio majoritário e representante da empresa falida.

Documento de Gilberto Borges



THE END

Nenhum comentário:

Postar um comentário