Google+ Followers

domingo, 15 de julho de 2018

The three keys to France vs. Croatia in the 2018 World Cup final | ESPN FC




#ON THE FRANCE’S BASTILLE DAY: PERCEPTION OF BRAZILIAN TOLOUSE’S SIEGE AND GREAT POSSIBILITY OF  THE BRAZILIAN FEDERALIST  MOVIMENT TO OVERTURN THIS OBSOLETE MODEL  OF COUNTRY
FRENCH HOPE BASTILLE DAY FLAG-WAVING WILL BECOME TWO-DAY AFFAIR
THE PROBLEMS OF THE NATION AND ITS SOLUTIONS BY THOMAS KORONTAI
PUBLIC VOTE COUNTING IN BRAZIL  NOW! (VIDEO BY FELIPE GIMENEZ)
   ALSO ASK FOR HELP TO THE BRAZILIAN DEMOCRACY  DYING  IN DARKNESS BY BRAZILIAN SUPERIOR ELECTORAL COURT (TSE) THAT WAS DENOUNCED IN THE ORGANIZATION OF AMERICAN STATES (OAS) 
IMPEACHMENT OF TOFFFOLI, MENDES AND LEVANDOWSKY  NOW! SIGN PUBLIC PETITION
MPF(BRAZILIAN FEDERAL PROSECUTIONS OFFICE)  DENOUNCES SÉRGIA MIRANDA FOR FRAUD AT SIMCOL AND SHOULD INVESTIGATE CAIO ASFOR NOVEMBER 27, 2017 WALTER BARDAWIL (SIMCOL’S ISSUE ONGOING)





#ON THE FRANCE’S BASTILLE DAY: PERCEPTION OF BRAZILIAN TOLOUSE’S SIEGE AND GREAT POSSIBILITY OF  THE BRAZILIAN FEDERALIST  MOVIMENT TO OVERTURN THIS OBSOLETE MODEL  OF COUNTRY
FRENCH HOPE BASTILLE DAY FLAG-WAVING WILL BECOME TWO-DAY AFFAIR
THE PROBLEMS OF THE NATION AND ITS SOLUTIONS BY THOMAS KORONTAI
PUBLIC VOTE COUNTING IN BRAZIL  NOW! (VIDEO BY FELIPE GIMENEZ)
   ALSO ASK FOR HELP TO THE BRAZILIAN DEMOCRACY  DYING  IN DARKNESS BY BRAZILIAN SUPERIOR ELECTORAL COURT (TSE) THAT WAS DENOUNCED IN THE ORGANIZATION OF AMERICAN STATES (OAS) 
IMPEACHMENT OF TOFFFOLI, MENDES AND LEVANDOWSKY  NOW! SIGN PUBLIC PETITION
MPF(BRAZILIAN FEDERAL PROSECUTIONS OFFICE)  DENOUNCES SÉRGIA MIRANDA FOR FRAUD AT SIMCOL AND SHOULD INVESTIGATE CAIO ASFOR NOVEMBER 27, 2017 WALTER BARDAWIL (SIMCOL’S ISSUE ONGOING)








 SIGN PUBLIC PETITION:  http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=BR106929
VIDEO LINK:https://youtu.be/8s_CiLFUI1Q


SCIENCE AND TECHNOLOGY, COMMUNICATION AND COMPUTERS - Importance of the physical register of the vote -12/07/2018 

COMMENT - ANALOGY TO THE SIEGE OF  TOULON

Gilberto Martins Borges Fo.

The siege of Toulon originates from the turbulence of the first French Revolution, with the emergence of the Constitution that allowed the Legislative Assembly to be installed in 1789. But it did not last long and was replaced by the General Convention in 1792, its majority by so-called Jacobins deputies who had also been affiliated with Napoleon Bonaparte. This, however, before being affiliated to the Jacobin party, was already a Republican.
Toulon is located in the south of France, whose port, the port of Toulon, at that time was the most important of the ports of the south of the country, and was taken by the Girondins, deputies who were part of a bourgeoisie defending a parliamentary monarchy, they wanted to use it as a bargaining chip for their interests.
Napoleon, at that time in French history, was an artillery captain, and was sent to the south of the country, whose troops were sent at the command of the jabobinos to fight in the siege of Toulon to rescue him, that is, to withdraw him from the influence of the Girondins.

The battle was not easy, because Spain supported the still strong monarchist France in the country. In turn, the Republican troops had several problems and Napoleon faced all these problems. Then he decided to act, getting support from a deputy who was representative of the people, for whom Napoleon presented his plans for the taking of the place occupied by Girondine troops.
Napoleon needed only three days to return to the place, and with his republican troop gained the victory over the monarchist troop. By his strategy and brilliance, of captain he became lieutenant-colonel. But that was only the beginning for his patent achievement. Very quickly, by the reputation gained in the victory in Toulon, it became general.

What relationship (analogy) could make with the political crisis that has settled in Brazil and refuses to leave the people reassured to think about the issues of political and economic crisis recovery? There are two very strong political groups that intend to form their areas of influence, just as in France on the eve of the French Revolution of 1789, the Girondins, the monarchists, and the Jacobins, Republicans.
Relevance of the appearance of a captain / general, to unify the country, not allowing strategic locations to be the target of disputes between the deputies and senators. Felipe Gimenez, until the moment, appears like protagonist of this battle, like Napoleon. He tries to work to get support not only from deputies, senators, military leaders of the Social Movements with important participation of Thomas Korontais from other leaders. Felipe Gimenez, with all his excellent argumentation, with great oratory, has been receiving this support, just as Napoleon got support from a deputy of the people presenting him with his plan of action for the conquest of Toulon, Felipe Gimenez presented his great and irrefutable strategy of , instead of focusing on technical issues that for years technicians, lawyers, analysts of ssitema, has been degladiano with the Superior Electoral Court (TSE), he brought an irrefutable strategy that is about the Public Vote Counting, because the technological strategies brought almost none or little progress towards improving electoral transparency for past elections, even for 2018 elections. In this sense, the country can no longer be divided as it stands. The support is essential for the success of Public Vote Couting. This same support could also come from the people.



==//==




SOURCE/LINK: https://www.theguardian.com/world/2018/jul/14/french-hope-bastille-day-flag-waving-two-day-affair-world-cup

France 
French hope Bastille Day flag-waving will become two-day affair 
As Macron presides over military parade, nation hopes for World Cup victory on Sunday
Reuters in Paris
Sat 14 Jul 2018 13.33 BST Last modified on Sat 14 Jul 2018 18.25 BST 
    • 
Shares
62
 
Soldiers of the 27th battalion de Chasseurs alpins march down the Champs-Elysées. Photograph: Thomas Samson/AFP/Getty 
France celebrated Bastille Day on Saturday with a colourful military parade in Paris – and hoped the party would continue the next day after the national football team play Croatia in the World Cup final.
Standing on a military vehicle flanked by motorcycle escorts and led by a cavalry procession, Macron rode down the Champs Elysées, Paris’s most famous boulevard, for his second 14 July parade, cheered by hundreds of spectators.
Bastille Day commemorates the storming in 1789 of a prison where political dissidents were locked up, a key event in the French Revolution. 
 
French police braced for World Cup weekend amid terrorism alert 
Read more 
Macron this year invited the leaders of Japan and Singapore, nations with long-standing strategic partnership with France, to take part. Last year the US president Donald Trump was guest of honour.
 
Facebook Twitter Pinterest 
A mistake occurred in the smoke colours produced by the Patrouille de France during the parade in Paris. Photograph: Etienne Laurent/EPA 
Japanese’s Prime Minister Shinzo Abe, who cancelled to deal with deadly floods at home, was represented by the foreign minister, Taro Kono.
In the two-hour parade, involving 4,200 soldiers, 220 vehicles and about 100 aircraft, Japanese and Singaporean soldiers took part as guests of honour. 
There were two glitches, though: two motorcycles collided during a demonstration in front of guests, and an Alpha jet from the Air Force Patrouille de France acrobatic unit released the wrong colour for the French flag during a formation flight. 
France has mobilised 110,000 security staff for the Bastille Day festivities and World Cup final. Hundreds of thousands of people are expected to take to the streets, from Paris to the smallest of villages, and the celebrations are likely to continue long into Sunday night if France lifts the World Cup for the second time.
Since you’re here… 
… we have a small favour to ask. More people are reading The Guardian than ever but advertising revenues across the media are falling fast. And unlike many news organisations, we haven’t put up a paywall. We want our journalism to remain accessible to our global audience. Our readers’ contributions enable us to maintain this openness, so we can all access accurate information and analysis. 
The Guardian’s independent, investigative journalism takes a lot of time, money and hard work to produce. But we do it because we believe our perspective matters – because it might well be your perspective, too. For as little as £1, you can support the Guardian – and it only takes a minute. Thank you.
==//==
www.jcnet.com.br/editorias_noticias.php?codigo=23159&ano=2003&p=

07/07/03 00:00 – Opinion
The problems of the nation and its solutions

On July 14, 1789, the world witnessed the Storming of the Bastille, in a strong symbolic demonstration of the end of Absolutism in France, in search of Freedom and, consequently, through the personal search for happiness and better living conditions. In November 1989, the world saw on TV the thrilling scenes of hammers, sticks, stones and even fists, putting down one of the biggest shames that humanity has passively admitted: the Berlin Wall. The fall of the wall marked the beginning of the fall of the Union of Soviet Socialist Republics, bringing to an end the totalitarianism that has spanned a century, and which has wiped out tens of millions more than in the wars of the same period. We are in 2003 and what we are waiting for is the "downfall". This, unlike towers and walls, is inside millions of Brazilians, from John Doe  ("Zé dos Anzois")  to the few best positioned in the social pyramid of “Tupiniquim” (relative or pertaining to Brazil or that is its natural or inhabitant). The "downfall" signifies the recognition, on the part of the Brazilians and, perhaps, on the part of the governments, that the gigantic state apparatus is that it is killing the Nation, progressively. Mortal attacks from the upper reaches of the Brazilian basil reach the level of economic activity, intellectual production, political activity, institutions, and finally society, family and individual, many of whom are overcome by immorality and new ethics of the parallel state, dominated by the law of advantage. This apparatus, built in a solid Babylonian tower filled with attributions and surrounded by the wall of corporatism, is increasingly imposed on the plebs, that is, the Brazilian people. The "queda da ficha" (in Portuguese “a sudden / understanding/perception of what is happening about certain fact”)  will represent, at some point in our future history, the understanding of the subversion of institutional organizational values, since, in the way that exists in Brazil, this Babylonian tower defended by those who benefit from it, of the population that sustains it, with 40% of what it produces, when, it is well known, it should be exactly the opposite, the State serving the population. How much will it still take for the chip to fall? How much will it still be necessary to perceive that the brasilian bastille, present and constitutionally mirrored in each corner of this world of brasis, extorted the autonomies that it now negotiates in exchange for political favors with the governors, which, to guarantee budgetary closures, within the Law, have they been allowed to withdraw subsidies from their own budgets for health and education? How much will it take to understand that the solution of local problems is to be found in the localities, provided they have freedom for self-management, self-generation and self-responsibility, without having to send the product of their work to bastille to wait for the crumbs to return? How much will it take for it to be understood that the more centralized the power, the more vulnerable it is to the exogenous forces of financial and political power? When the "queda da ficha"  ( occurs, with these and other clarified findings in the minds of each Brazilian, the fall of the Bastille and the Tupinikim wall that seals our freedoms, our autonomies, our development, our vision of the future, our local choices and even become inexorable. A new story will begin in Brazil. The "fall of the record" has already occurred with many Brazilians who realized the primary cause of national problems, the chronic centralism of political, administrative, judicial, legislative, tax and financial powers at the federal level, no longer getting carried away by the prayers of the centennial politburo tupiniquim. But many are still missing. Millions. The bastille fell. The wall fell. The plug will also drop. (The author, Thomas Korontai, is an industrial property consultant, businessman and national president of the Federalist Party - www.federalista.org.br)




==//==
As the Storming of the Bastille, the Brazilian Federalists will overturn this model of country, which oppresses the People and benefits only the oligarchs, not only "white collar", but multicollor collar bandits , slaveholders, plutocrats and all kind of persons that prevent other people from beeing prosperous in Brazil!
As the Storming of the Bastille, really made by the People, we will do this, you and I, to implant the Full Federalism under a new Constitution!
Thomas Korontais
Brazil, July 14, 2018.
TK2018 
2018 f/tkpresidentofbrazil






























==//==
SOURCE/LINK: https://www.eonline.com/news/951724/donald-trump-and-melania-trump-meet-queen-elizabeth-ii-for-tea

Donald Trump and Melania Trump Meet Queen Elizabeth II for Tea 
by Samantha Schnurr | Fri., Jul. 13, 2018 10:04 AM 
 
Chris Jackson/Getty Images
President Donald Trump, meet Queen Elizabeth II. 
The president came face to face with the English monarch on Friday when he arrived at Windsor Castle with First Lady Melania Trumpfor a scheduled meeting over tea. Upon arrival at the queen's Berkshire residence, the royal, donning a periwinkle lace coat and matching hat, greeted the couple at the Quadrangle of Windsor Castle.
The American Commander-in-Chief and his wife were subsequently treated to a royal salute by the Guard of Honor, made up of 1st Battalion Coldstream Guards, as the United States national anthem was played by a revered military marching band. He and Queen Elizabeth II then walked side by side as they inspected the guard. 
 
Photos
Stars Meeting Royals

A Guard of Honour gives a Royal Salute and the US National Anthem is played by the band formed of personnel from the Coldstream and Grenadier Guards. pic.twitter.com/1auIDsnENY
— The Royal Family (@RoyalFamily) July 13, 2018
 
Matt Dunham - WPA Pool/Getty Images
 
Chris Jackson/Getty Images
Trump is the fourth United States president the queen has received at Windsor Castle since the 1980s. She welcomed former presidents Ronald Reagan, George Bush and Barack Obamain 1982, 2008 and 2016 respectively. 
If Trump's visit is anything like Bush's was, the trio will sit down in the White Drawing Room, where they will enjoy a traditional English spread featuring tea, small sandwiches and cakes.
The president's visit to England has not been a welcome one for some citizens as thousands of protesters have gathered in London to march in objection of the American politician. 
The former Apprentice host's meeting with the queen was also a point of contention for Meghan Markle's father, Thomas Markle, who was miffed that Trump was meeting with the queen before he did. As royal enthusiasts well know, the queen's grandson Prince Harrymarried the American actress in May. 
"If the Queen is willing to meet our arrogant, ignorant, and insensitive president, she has no excuse not to meet me." he told TMZ in June. "I'm nowhere near as bad." 


    • 
TAGS/ Queen Elizabeth II , Royals , Donald Trump , Melania Trump , Top Stories , Apple News 

==//==

      
SOURCE/LINK: http://convergencias.org.br/tse-denunciado-na-oea-com-carta-do-convergencias/

BRAZILIAN SUPERIOR ELECTORAL COURT (TSE) WAS  DENOUNCED IN THE ORGANIZATION OF AMERICAN STATES (OAS)  WITH LETTER BY “CONVERGENCIAS”

June 5, 2018 “Convergências” “Convergencia” 
 QUI17 - QUITO (ECUADOR) - 06/06/04 - General view of the opening of the XXXIV General Assembly of the Organization of American States (OAS) held this Sunday, June 6, at the National Theater of the House of Culture in Quito. EFE / Guillermo Legaria
DOCUMENT, SIGNED BY 96 MOVEMENTS AND CIVIL ENTITIES, WAS DELIVERED DIRECTLY TO THE HANDS OF SECRETARY GENERAL LUIZ ALMAGRO LEMES, AT THE 48TH GENERAL ASSEMBLY HELD ON THIS DATE IN WASHINGTON DC DENOUNCING THE LACK OF TRANSPARENCY IN THE BRAZILIAN ELECTORAL PROCESS

The letter, after the praxis presentations, highlights the scope:
We denounce, at this moment, the total lack of transparency in the current Brazilian electoral system, especially as regards the counting of votes, because the electronic voting machine do not issue any printed physical counter-tests for voter pre-confirmation before confirming their wish, as well as of any recount, and not respecting the Constitutional Principle of Publicity of administrative acts (article 37 of the Federal Constitution), making the entire electoral process ILLEGITIBLE, wounding death to Democracy, a process similar to what happened to our unhappy Venezuelan brothers.

The letter tells a brief history of the Brazilian case, making connections, and demonstrating that the authorities insist on breaking the law and even the Constitution, using machines that count votes in secret. The document was delivered by Prof. Hermes Rodrigues Nery, President of the Movement Legislation and Life, who attended the 48th General Assembly of the Organization of American States (OAS) at the invitation of the organization.
Prof. Hermes Nery delivers the Charter directly to the Secretary General

In the letter, the movements ask the OAS to intervene with questions from the Brazilian authorities, as well as to express its views on international human rights and political treaties that are endangered in Brazil.
Here is the Letter in its entirety, with the list of Signatory Movements:
Brazil, June 2018

THEORGANIZATION OF AMERICAN STATES
ATT .: MR. LUIS ALMAGRO LEMES
MD GENERAL SECRETARY
SUBJECT: ABSENCE OF TRANSPARENCY IN THE ELECTORAL PROCESS OF BRAZIL

Dear sir:

We coordinated a coalition of movements, groups and activists in the interest of the Brazilian people. These movements have millions of followers in particular by social networks and seek greater integration and effectiveness in their actions in the intelligent and peaceful defense of the State of Law and Democracy, legality of public acts, and also contribute to the authorities constituted by means of of criticisms, suggestions and collections, including actions in the political and judicial field. This coalition, whose denomination is “CONVERGENCIAS” does not have head office , since its components decide the actions through the social networks. And everything is published on a website: www.convergencias.org.br
We denounce, at this moment, the total lack of transparency in the current Brazilian electoral system, especially as regards the counting of votes, because the electronic ballot boxes do not issue any printed physical counter-tests for voter pre-confirmation before confirming their wish, as well as of any recount, and not respecting the Constitutional Principle of Publicity of administrative acts (article 37 of the Federal Constitution), making the entire electoral process ILLEGITIBLE, wounding death to Democracy, a process similar to what happened to our unhappy Venezuelan brothers.
MORE DETAILED DESCRIPTION OF THE SITUATION:
The current process, fully automated by means of electronic voting machines, although the disclosure of alleged benefits, such as "speed of calculation and elimination of huge queues", has many sensitive points and proven fragilities that make them unfit for their primary function. Even recently, the very court in charge of organizing and supervising the elections has carried out a public test of the process, of the software and of the electronic equipment, and confirmed several problems that had previously been pointed out by leading experts. The court's response was that the problems identified would be corrected in time for the election.

Implemented in 1996, the system, which does not produce any physical proof of the vote, proved to be absolutely unreliable. Needless to say, such a system puts democracy at risk by facing all the processes of transparency and compliance required in the treatment of the "public thing", especially in the choice of representatives of the Legislative Branch and of the Executive Branch, who will lead the country, as a rule, owe their satisfaction to the people.
Despite this, the Supreme Electoral Tribunal (TSE), despite the evidence already cited, insists irrationally on the inviolability of the electronic voting machine. Affirmations of this type are known to be crazy, since even more complex and protected systems are invaded daily by hackers, from anywhere on the planet.
In addition, other problems arise, such as the noncompliance with the law by the body that should supervise it, vicious processes of selection of companies that provide services and exorbitant costs of equipment and services.
On 09/29/2015, Law 13,165 was published which obliges the installation of printers in electronic voting machines to issue the physical proof of the vote. After two years, that court did not adopt any measures to comply with this law. No budgetary action was taken, much less if any steps were taken regarding the identification and homologation of printing equipment and respective field bids and tests, only starting such negotiations as of November 2017, in view of the increasing pressures that Convergências and other groups exercise over the TSE. In fact, it was only possible to take some emergency action due to the pressure exerted on the National Congress commission in charge of authorizing additions to the Union Budget, with the allocation of approximately R $ 250 million for this purpose.
The TSE stated that there were insufficient funds for the acquisition of 600 thousand ballot boxes with a printer at a cost of R $ 2.5 billion (US $ 800 million), but in the face of pressure from society, which gathered the correct information and proved that it would not be necessary to manufacture new urns, but only to couple printers to the existing ones, the TSE forced itself to adopt the mentioned alternative. However, avoiding to implement them in their entirety, the then President of TSE, Minister Gilmar Mendes, announced the acquisition of only 30,000 printers, which corresponds to about 5% of the total number of polls, he said, because there would be no time for the acquisition of all 600 thousand printers.
At this point we wish to emphasize that the use of printers in only 5% of the ballot boxes is a flagrant violation of the Brazilian constitutional right of equality of citizens before the law, since 95% of the voters can not have the physical control of the vote. This means that given the vote there is no certainty to whom it was intended other than the one that appears on the screen of the electronic ballot box. There is no way to vote. It violates the principle of transparency, which is mandatory in Article 37 of our Federal Constitution, which requires publicity, impersonality and legality of the administrative acts practiced by the State. Counting votes is an administrative act and therefore must be public. The ballot has been secret since 1996, since it is held electronically inside each ballot box in each electoral section, issuing a ballot box with all the ballots counted. There is also a possibility of fraud in the transmission of data to the regional courts (in each state) and to the Superior Electoral Court in the Federal Capital, as well as in the aggregation of each of these recipients, depending on the nature of the election, whether state or national. Without physical counterproduction, it is impossible to promote recounts.

The solution is, clearly, the adoption of ballot voting, with public count of votes after the closing of the election in each section of the election. Each one, having a low average number of voters - about 200 to 400 voters - makes it very easy and quick to count and issue the respective bulletin, distributing copies to all present in each section, be they party tax and candidates, are ordinary voters. By advertising such bulletins, you create a mirroring of results, increasing transparency and mitigating the possibility of fraud. And there will still be their own vows stored in the canvas urn, sealed, for eventual recount. As is done in Japan, Germany and USA, just to name a few. Public officials - who demand that we "have public faith in them" - although the state is secular and can not mix legal demands with professions of faith - accuse the system of ballot-voting anachronistic, but in fact, it is much more reliable than the current electronic ballot boxes. 

Not only for Convergencias, but for almost all of Brazilian society, it became evident that the Minister, the President of the TSE until the end of January / 18, avoided complying with the law at all costs. The current president, Minister Luiz Fux intends to follow in the same direction. However, this situation is seen as a prevarication by senior officials of the Brazilian State, that is, the noncompliance with the function for which they are responsible. The fact itself would already be worrying if it applied to common servers, but when such behaviors depart from servers of such high court, PROTECTED BY THEMSELVES, WHICH ARE PART OF THE SUPREME FEDERAL COURT, indicate serious signs of dysfunction in the political system. If this absurd situation persists, the tendency is the degeneration of the system, which could generate an acute and profound crisis in the country, leading us to the catastrophic situation of Venezuela.
Serious problems were also detected in the management of equipment costs. The unit cost of each printer, submitted by TSE, stands at R $ 2,000.00 (US $ 533.00). However, surveys carried out by specialists who are components of Convergências, in addition to others not related to it, have found that this value exceeds the market price of equivalent equipment by ten times. If we consider that the acquisition in large lots normally tends to reduce the unit price, it is certain that the cost of each one can be between R $ 200.00 (US $ 53.00) and R $ 400.00 (US $ 106 , 00), a drastic reduction of costs. Although it was possible to approve in the General Budget of the Union, through a National Congress, a sum of R $ 250 million (about US $ 66 million) that would serve to produce all the 600 thousand printers, the resource was not requested by the TSE .
At this juncture, Convergencias has adopted several procedures to demand from the institutions and responsible authorities the correct and complete compliance with the law so that the entire electoral process is fully transparent in the elections that will take place in the current year.
Aiming to react to these irregularities and illegalities, the “Convergencias” implemented several measures, among them the entry with actions in the Federal Court. One of them is a Popular Action that requires that the vote can be exercised by means of paper ballots in the sections in which the electronic ballot boxes do not provide voting impression equipment for voter pre-conference purposes, before final confirmation of the voting process. voting, thus allowing, if necessary, an audit action.


Even if the impression of the vote allows the subsequent conference, due to physical counter-trial, will incur in breach of constitutional rights if the TSE remains in the illegal provision to provide printers of votes only for a minimal portion of electronic ballot boxes. For this reason, it joined the aforementioned Popular Action, requiring the issuance of paper ballots and ballot boxes for the remaining 95% of the electoral sections. Other actions such as the Brazilian Homeland Association and the Brazilian Resgate Institute require the right of public scrutiny, based on the constitutional principle of publicity of public acts.
Surrounded, the authorities try to suspend the effects of the Law that introduced the compulsory printing of the vote, promulgated in 2015, as mentioned above, through a Direct Action of Unconstitutionality (ADIN) presented by the Attorney General's Office (PGR) to the Supreme Court Federal Court, even after the Letter of the “Convergencias filed and delivered to the Chief Prosecutor, Dr. Raquel Dodge, in which we requested action against the offenses of Minister Gilmar Mendes, then president of TSE and we informed about the actions of the Society in Federal Court. In a strange coincidence, the minister of the STF raffled was nothing more, nothing less than Minister Gilmar Mendes himself, simultaneously a member of the TSE and the STF (in fact, the structuring of the Brazilian Judiciary is very biased). In addition to the unprecedented action, which goes against the interests of the population, against the necessary transparency duly registered in the Federal Constitution (article 37), it also lays down against the Principle of Annuity (Article 16 of the Constitution) less than 12 months before the next election. To further aggravate the framework of immorality and illegality also in this case, the Minister of Justice Gilmar Mendes himself was the rapporteur for the measure proposed by the Attorney General of the Republic, who presided until February / 18 the TSE, being, by law, prevented from judging matter in the which is or has been a part, which is being disregarded by the other ministers of the Federal Supreme Court. That is, the judicial authorities are disrespecting head and shamelessly, the legislation and the Constitution that they have vowed to defend, as well as the legal obligation to do so.

The facts that dissuade all republican lawfulness are multiplied perpetrated by public agents increasingly devoid of modesty. Minister Gilmar Mendes, who presided over the TSE, moved his former direct advisor to be appointed as Director of Technical and Legal Affairs of the Federal Senate, where he has, against him, impeachment proceedings for several reasons. The impeachment processes that are the constitutional responsibility of the Senate of the Republic do not have a technical-juridical opinion exactly of this Executive Board, to which its former advisor was appointed. The Nation is shocked.
Although there is already legislation requiring paper ballots and canvas ballot to be made available at all polling stations in the event of failure in some electronic ballot box, the TSE has insisted on alternatives that entail enormous costs, such as the acquisition of entirely new ballot boxes in which are already coupled with the printers of votes. This insistence, one supposes, is due to the attempt to create a smokescreen to conceal the true intention, which is to keep the present system exactly as it is: susceptible of fraud. In the last election the conference of votes was carried out by a group of the TSE own and without access to any other citizen; the conference was secretly headed by Minister Dias Toffoli, a member of the Workers' Party (PT), an organization that is currently being challenged by Brazilian society in the face of many of its members being jailed and prosecuted by Operation Car Wash. There was no transparency in that calculation and totaling of the votes to the second round of the presidential elections, which occurred in 2014.

It is now expected that the Federal Court will comply with the judicial measures proposed by the Company. Thus, in addition to equalizing all voters in their constitutional rights, we will have 100 percent of the votes with the physical counter-vote for eventual audits.

We also inform that a Legislative Suggestion to the Senate (nº 39/17), which exceeded 20 thousand signatures in very short time, presented by one of the members of the Conclave for Democracy (which integrates Convergencies), was rejected by the Rapporteurship and by the Commission of Human Rights of the Senate (https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/02/cdh-rejeita-sugestao-do-retorno-ao-voto-em-cedula), under the justification that the printed vote is approved. That is, the People are being curtailed of their right to the transparency of the voting process in Brazil. We believe that the international organizations that fight against corruption in the world, seeking the transparency of public acts, should take note of this grave situation in Brazil, which is why we have issued this note, which is signed by Civil Movements and Activists in “Convergencias”.

As we have for the moment, we hope that this DENUNCIATION will be widely disseminated and that the OAS will consider the need to demand from the Brazilian authorities, compliance with the law and the Constitution, which are in line with International Treaties such as the Pact of San José de Costa Rica, of the Charter of Human Rights of the United Nations and of the Inter-American Democratic Charter, adopted at the OAS General Assembly in 2001, and we are at your disposal for further clarification.

Best regards,

“CONVERGENCIAS”
Civil Movements in Brazil

Thomas Korontai

Coordinator
Signatory Movements and Institutions (In alphabetical order):

Acampamento LAVA JATO
Bloco Movimento Brasil
Chega de Impostos
Curitiba Contra Corrupção
Direita Boa Esperança Do Sul
Direita Franca
Direita Guariba
Direita Jaboticabal
Direita Minas
Direita Minas – Bambuí
Direita Minas – Bom Despacho
Direita Minas –Borda da Mata
Direita Minas – Cambuquira
Direita Minas – Capitão Enéas
Direita Minas – Contagem
Direita Minas – Felisburgo
Direita Minas – Governador Valadares
Direita Minas – Itabira
Direita Minas – Ituiutaba
Direita Minas – Juiz de Fora
Direita Minas – Lavras
Direita Minas – Montes Claros
Direita Minas – Ouro Fino
Direita Minas – Paracatu
Direita Minas – Patos de Minas
Direita Minas – Poços de Caldas
Direita Minas – Ribeirão das Neves
Direita Minas – Samonte
Direita Minas – Santa Rita do Sapucaí
Direita Minas – Sete Lagoas
Direita Minas – Três Corações
Direita Minas – Uberaba
Direita Minas – Varginha
Direita Morro Agudo
Direita – Orlândia
Direita – RM Ribeirão Preto
Direita – São José (SJC/SP)
Direita Sertãozinho
Endireita Pernambuco
Instituto Legislação e Vida
Liga Federalista Nacional
Movimento Avança Brasil
Movimento Federalista
Movimento Rua Brasil
Resistência Popular SM
UNATRANS – União Nacional dos Transportes Rodoviários e Autônomos
Ativistas Independentes SP
BrasileirOS.brOS
Conclave pela Democracia
Direita ABC
Direita Cravinhos
Direita Guaíra
Direita Ilha Bela
Direita Litoral
Direita Minas – Alfenas
Direita Minas – Betim
Direita Minas – Bom Repouso
Direita Minas – Cambuí
Direita Minas – Campanha
Direita Minas – Carandaí
Direita Minas – Córrego do Bom Jesus
Direita Minas – Frutal
Direita Minas – Ipatinga
Direita Minas – Itajubá
Direita Minas – João Monlevade
Direita Minas – Lafaiete
Direita Minas – Luminárias
Direita Minas – Nepomuceno
Direita Minas – Ouro Preto
Direita Minas – Passos
Direita Minas – Perdões
Direita Minas – Pouso Alegre
Direita Minas – Rio Pardo
Direita Minas – Santa Luzia
Direita Minas – São Domingos da Prata
Direita Minas – Teófilo Otoni
Direita Minas – Três Pontas
Direita Minas – Uberlândias
Direita Minas – Viçosa
Direita MS (Mato Grosso do Sul)
Direita – Pontal
Direita – RMVale
Direita São Paulo
Direita Ubatuba
Instituto Federalista
Instituto Liberal Acorda Brasil
Marcha Cívica
Movimento Direita Ceará
Movimento juntos Pelo Brasil
NasRuas
São Paulo Conservador
Voz da Liberdade





==//==
    • 
    • 
    • 


LG


not respecting the Constitutional Principle of Publicity of administrative acts (article 37 of the Federal Constitution)



    • 

==//==
SOURCE/LINK: https://youtu.be/wjktryXOA_s


Piano Sonata No. 2 "Funeral March", III. Marche funèbre - Frédéric Chopin - Classical Music Piano


66.998 visualizações

547 9
Download
Compartilhar 





Músicas Instrumentais 
Publicado em 13 de jul de 2014


Piano Sonata No. 2 in B-flat minor, Op. 35 "The Funeral March", III. Marche funèbre: Lento by Frédéric Chopin. Thank you so much for watching this video. I hope you enjoy it and don't forget to share it! 

Categoria 
Música 
Licença 
Licença padrão do YouTube
==//==
SOURCE/LINK: http://www.vianoticias.blog.br/mpf-denuncia-sergia-miranda-fraude-na-simcol-deve-investigar-caio-asfor/
MPF(Brazilian Federal Prosecutions Office)  denounces Sérgia Miranda for fraud at Simcol and should investigate Caio Asfor
November 27, 2017 Walter Bardawil













Offices "Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria" and "Rocha, Marinho e Sales" would be linked by means of operating behind a particular type naive person offering to represent another in an illegal activity "straw" man (in portuguese “laranjas”)

The Federal Public Prosecutor's Office (MPF), through the Deputy Attorney General, Luciano Mariz Maia, offered the Superior Court of Justice (STJ) a crime against the Sérgia Maria Mendonça Miranda district attorney for fraud involving the failed bankruptcy of Simcol (building company undergoing bankruptcy).

She dispatched an injunction and wrongly ordered (in one of her shifts) the payment of a check in the amount of one million, one hundred and nineteen thousand, nine hundred and thirty-two reais and one centavo to the office "Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria", which, at the time, in May 2013, had provided legal services to the company.
In addition to Sérgia, Frankraley Oliveira Gomes - boyfriend of the judge at the time -, Paulo Fernando Mendonça and Claudia Adrienne Sampaio de Oliveira are enrolled.

Check out excerpt from MPF complaint.
Orange Partnership
SIMCOL would also have been harmed, in a criminal manner, through another injunction of the same adjudicator. The company was forced to pay very high amounts (over R $ 1 million) to the law firm "Rocha, Marinho e Sales", owned by attorney Caio Asfor.

The payment was made by means of an "orange" connected to the "Sampaio, Tavares Advocacia e Consultoria" office.

The denunciation was sent to the Minister of STJ, Herman Benjamin, by the businessman Gilberto Martins Borges, majority partner and representative of the bankrupt company.

Part of the document of Gilberto Borges below.







    • 
      

==//==











#IMPEACHMENT NOW! SIGN PUBLIC PETITION
LINK: http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=BR106929
#Impeachment of Toffoli, Gilmar Mendes and Lewandowski Public Petition - Application of LAW No. 1,079, OF APRIL 10, 1950. No to the Great National Corruption Agreement - With Supreme and All of Cleptocracy in /Brazil
Read the text Impeachment of Toffoli, Gilmar Mendes and Lewandowski - Application of LAW No. 1,079, APRIL 10, 1950. No to the Great National Corruption Agreement  - With Supreme and All of Cleptocracy, fill in the data and click on the undersigned subscribe button to contribute to the change.
Fill out the form automatically with your Facebook account:
Subscribe with your Facebook or manually complete the subscription form:

Full name (*)

Email (*)

CPF
 
Identity
 
Comment

(*) - (Required fields)
I agree to the Petition Public Brazil contact me for the undersigned of the same kind and for advertising campaigns of this or third parties in accordance with our privacy policy.




Have already signed this Down-Signed
84,537 People

The internet is one of the most important tools of freedom of expression in today's society. The right of the undersigned can be considered as one of the oldest fundamental rights of citizens and also of the oldest methods of democracy.Petition Public Brazil

The undersigned are one of the most effective ways of making ourselves heard.Camila Cardoso

Sign the Under-Signed and show that you support this cause. As we act together we will have more strength and ease in being heard.

Express your opinion. Get involved.
The Petição Pública Brasil website respects your privacy and rules on the processing of personal data.
 
    • Facebook
    • GooglePlus
    • Twitter
    RSS Feed
The right of petition can be considered as one of the oldest fundamental rights of the citizens in face of the political power, being constitutionally assured by the art. 5, XXXIV, "a", of the Federal Constitution of 1988 in the following terms: "the right of petition to the Public Powers in defense of rights or against illegality or abuse of power".
    • About Us
    • FAQ
    • Privacy policy
    • Terms and conditions
    • Help
    • Contact Us
Copyright © 2018, All Rights Reserved.




==//==
COMENTÁRIO – ANALOGIA AO CERCO DE TOULON
 Gilberto Martins Borges Fo.’.
 
O cerco de Toulon origina-se da turbulência da primeira Revolução Francesa, com o surgimento da Constituição  que permitiu a instalação da Assembleia Legislativa em 1789. Mas esta não durou muito tempo, tendo sido substituída pela Convenção Geral em 1792, cuja composição era formada em sua maioria por deputados chamados jacobinos que tinha filiação também de Napoleão Bonaparte. Este, no entanto, antes de ter filiação no partido jacobino, era já um republicano. 
Toulon localiza-se no sul da França, cujo porto, porto de Toulon, àquela época era o mais importante dos portos do sul do país, e que foi tomado pelos girondinos, deputados que faziam parte de uma burguesia defensora de uma monarquia parlamentarista, que queriam usá-lo como moeda de barganha para seus interesses.  
Napoleão, nesse momento da história francesa, era capitão de artilharia, e foi enviado para o sul do país, cujas tropas foram enviadas a mando dos jabobinos para lutar no cerco de Toulon no sentido de resgatá-lo, ou seja, retirá-lo da influência dos girondinos.
A batalha não foi fácil, porque a Espanha apoiava a França monarquista ainda forte no país. Por sua vez, as tropas republicanas tiveram vários problemas e Napoleão presenciava todos esses problemas. Então ele decidiu agir, conseguindo apoio de um deputado que era representante do povo, para quem Napoleão apresentou seus planos para a tomada do lugar ocupada por tropas girondinas. 
Napoleão precisou de apenas três dias para retomar o local, e com sua tropa republicana conquistou a vitória sobre a tropa monarquista. Pela sua estratégia e brilhantismo, de capitão tornou-se tenente-coronel. Mas isso foi apenas o começo para sua conquista de patentes. Muito rapidamente, pela reputação conquistada na vitória em Toulon, tornou-se general.


Qual a relação (analogia) poderia fazer com a crise política que se instalou no Brasil e recusa-se a deixar o povo tranquilizado para pensar nas questões da retomada econômica? Há dois grupos políticos muito fortes que tem a pretensão de formar suas áreas de influências, tal como ocorrera na França às vésperas da Revolução de Francesa de 1789, os girondinos, monarquistas, e os jacobinos, republicanos. 
Relevância do aparecimento de um capitão/general, para unificação do país, não permitindo que locais estratégicos sejam alvos de disputas entre os deputados e senadores. Felipe Gimenez ,  até o momento, apresenta-se como protagonista dessa batalha, tal como Napoleão. Ele tenta trabalhar para conseguir apoio não somente  de deputados,   senadores, dos militares das lideranças do Movimentos Sociais com participação importante de Thomas Korontais de outros lideres. Felipe Gimenez com todas sua exímia argumetnação, com grande oratória, vem conseguindo esse apoio, tal como Napoleão obteve apoio de um deputado do povo apresentando-lhe o seu plano de ação para a conquista de Toulon, Felipe Gimenez apresentou sua  grande e irrefutável estratégia de, ao invés de focar em questões tecnicas que há anos técnicos, juristas, analistas de ssitema, vem se degladiano com o Tribunal Superior Eleitoral, ele trouxe uma estratégia irrefutável que se trata da Recontagem Publica dos Votos, pois as estratégias tecnológicas  trouxe quase nenhum ou pouco avanço no sentido de melhorar a transparência eleitoral para eleiçoes de 2018. Neste sentido, o país não pode mais ficar dividido como está. O apoio é imprescindível para o sucesso para Cotagem Publica dos Votos. Esse mesmo apoio poderá e também partir do povo. 
 
==//==
SOURCE/LINK: https://www.jcnet.com.br/editorias_noticias.php?codigo=23159&ano=2003&p=



07/07/03 00:00 - Opinião 
Os problemas da nação e suas soluções



Em 14 de julho de 1789, o mundo assistiu à Queda da Bastilha, numa demonstração forte simbólica do fim do Absolutismo na França, em busca da Liberdade e, conseqüentemente, através da busca pessoal da felicidade e melhores condições de vida. Em novembro de 1989, o mundo viu, pela TV, as emocionantes cenas dos martelos, paus, pedras e até punhos, pondo abaixo uma das maiores vergonhas que a humanidade, passivamente, já admitiu: o muro de Berlim. A queda do muro marcou o início da queda da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, pondo fim ao totalitarismo que quase atravessou um século, e que dizimou dezenas de milhões de pessoas, mais do que nas guerras do mesmo período. Estamos em 2003 e o que estamos esperando é a “queda da ficha”. Esta, ao contrário de torres e muros, está dentro de milhões de brasileiros, desde o “Zé dos Anzóis” até os poucos mais bem posicionados na pirâmide social tupiniquim. A “queda da ficha” significa o reconhecimento, por parte dos brasileiros e, quiçá, por parte dos governos, de que o gigantesco aparato estatal é que está matando a Nação, progressivamente. Os ataques mortais, provenientes do alto da bastilha brasiliense, atingem o nível de atividade econômica, a produção intelectual, a atividade política, as instituições e, por fim, a sociedade, a família e o indivíduo, muitos destes sendo vencidos pela imoralidade e pela nova ética do estado paralelo, dominado pela lei da vantagem. Este aparato, construído em sólida torre babilônica repleta de atribuições e cercada do muro dos corporativismos, impõe-se cada vez mais sobre a plebe, ou seja, o povo brasileiro. A “queda da ficha” representará, em algum momento de nossa história futura, a compreensão da subversão dos valores organizacionais institucionais, já que, o Estado, na forma como existe no Brasil, esta torre babilônica defendida pelos que dele se beneficiam, serve-se da população que o sustenta, com 40% do que produz, quando, sabidamente, deveria ser exatamente o contrário, o Estado servir à população. Quanto será necessário ainda para que a ficha caia? Quanto será necessário ainda para que se perceba que a bastilha brasiliense, presente e espelhada constitucionalmente em cada canto desse mundão de brasis, extorquiu as autonomias que agora negocia em troca de favores políticos com os governadores, os quais, para garantir fechamentos orçamentários, dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal, obtiveram permissão para retirar subvenções de seus próprios orçamentos, para a saúde e educação? Quanto será necessário para que se compreenda que a solução dos problemas locais se encontra nos próprios locais, desde que, tenham liberdade para auto-gestão, auto-geração e auto-responsabilidade, sem que se tenha que enviar o produto de seu trabalho para a bastilha para aguardar o retorno das migalhas? Quanto será necessário para que se compreenda que quanto mais centralizado o poder, mais vulnerável o mesmo fica às forças exógenas do poder financeiro e político? Quando ocorrer a “queda da ficha”, com essas e outras constatações clarificadas na mente de cada brasileiro, a queda da bastilha e do muro tupiniquim que veda nossas liberdades, nossas autonomias, nosso desenvolvimento, nossa visão de futuro, nossas escolhas locais e até pessoais, se tornará inexorável. Uma nova história começará no Brasil. A “queda da ficha” já vem ocorrendo com muitos brasileiros que perceberam a causa primária dos problemas nacionais, o centralismo crônico dos poderes políticos, administrativo, judiciário, legislativo, tributário e financeiro na esfera federal, não mais se deixando levar pelo papo dos pretores do centenário politburo tupiniquim. Mas muitos ainda faltam. Milhões. A bastilha caiu. O muro caiu. A ficha também cairá. (O autor, Thomas Korontai, é consultor em propriedade industrial, empresário e presidente nacional do Partido Federalista - www.federalista.org.br)








==//==
==//==
As the Storming of the Bastille, the Brazilian Federalists will overturn this model of country, which oppresses the People and benefits only the oligarchs, not only "white collar", but multicollor collar bandits , slaveholders, plutocrats and all kind of persons that prevent other people from beeing prosperous in Brazil!
As the Storming of the Bastille, really made by the People, we will do this, you and I, to implant the Full Federalism under a new Constitution!
Thomas Korontais
Brazil, July 14, 2018.
TK2018 
2018 f/tkpresidentofbrazil






























==//==

SOURCE/LINK: http://convergencias.org.br/tse-denunciado-na-oea-com-carta-do-convergencias/



    • Home 
    • O que é o Convergências 
    • Signatários 
    • Como funciona 
    • Fale conosco 
PETIÇÃO PUBLICA DE APOIO CARTA ENVIADA PELO CONVERGÊNCIAS DENUNCIANDO TSE  NA OEA 
5 de junho de 2018 Convergências Convergência 3 
 
QUI17 - QUITO (ECUADOR) - 06/06/04 - Vista general de la inauguración de la XXXIV Asamblea General de la Organización de Estados Americanos (OEA) realizada la noche de hoy, domingo 6 de junio, en el Teatro Nacional de la Casa de la Cultura en Quito. EFE/Guillermo Legaria 
DOCUMENTO, ASSINADO POR 96 MOVIMENTOS E ENTIDADES CIVIS, FOI ENTREGUE DIRETAMENTE ÀS MÃOS DO SECRETÁRIO GERAL LUIZ ALMAGRO LEMES, NA 48º ASSEMBLEIA GERAL REALIZADA NESTA DATA EM WASHINGTON DC DENUNCIANDO A FALTA DE TRANSPARÊNCIA NO PROCESSO ELEITORAL BRASILEIRO
A carta, após as apresentações de praxe, destaca o escopo:
Denunciamos, neste momento, a ausência total de transparência no atual sistema eleitoral brasileiro, sobretudo no que tange à apuração dos votos, pelo fato de as urnas eletrônicas não emitirem nenhuma contraprova física impressa para conferência previa do eleitor antes de confirmar seu desejo, bem como de eventual recontagem, e não ser respeitado o Princípio Constitucional da Publicidade dos atos administrativos (art. 37 da Constituição Federal), tornando todo o processo eleitoral ILEGÍTIMO, ferindo de morte a Democracia, processo parecido com o que ocorreu aos nosso infelicitados irmãos venezuelanos.
A carta conta uma breve história do caso brasileiro, fazendo conexões, e demonstrando que as autoridades insistem em descumprir a Lei e até a Constituição, utilizando máquinas que contam votos em segredo. O documento foi entregue pelo Prof. Hermes Rodrigues Nery, Presidente do Movimento Legislação e Vida, que participou da 48º Assembleia Geral da OEA (Organização dos Estados Americanos) a convite da entidade.
Prof. Hermes Nery entrega a Carta diretamente ao Secretário Geral 
Na carta os movimentos pedem à OEA para que a entidade intervenha com questionamentos junto às autoridades brasileiras, bem como, se manifeste em razão dos tratados internacionais de direitos humanos e políticos colocados em risco no Brasil.
Eis a Carta por completo, com a lista dos Movimentos signatários:
Brasil, Junho de 2018
À 
ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS
ATT.: SR. LUIS ALMAGRO LEMES
MD SECRETÁRIO GERAL
ASSUNTO: AUSÊNCIA DE TRANSPARÊNCIA NO PROCESSO ELEITORAL DO BRASIL
Prezado Senhor:
Coordenamos uma coalizão de movimentos, grupos e ativistas em prol do interesse do povo brasileiro. Tais movimentos tem milhões de seguidores em especial pelas redes sociais e buscam maior integração e eficácia em suas ações na defesa inteligente e pacífica do Estado de Direito e da Democracia, legalidade dos atos públicos, apartidariamente, e igualmente, contribuir com as autoridades constituídas por meio de críticas, sugestões e cobranças, incluindo ações no campo político e judicial. Esta coalizão, cuja denominação é CONVERGÊNCIAS, não têm sede, porquanto seus componentes decidem as ações por intermédio das redes sociais. E tudo é publicado em um site: www.convergencias.org.br
Denunciamos, neste momento, a ausência total de transparência no atual sistema eleitoral brasileiro, sobretudo no que tange à apuração dos votos, pelo fato de as urnas eletrônicas não emitirem nenhuma contraprova física impressa para conferência previa do eleitor antes de confirmar seu desejo, bem como de eventual recontagem, e não ser respeitado o Princípio Constitucional da Publicidade dos atos administrativos (art. 37 da Constituição Federal), tornando todo o processo eleitoral ILEGÍTIMO, ferindo de morte a Democracia, processo parecido com o que ocorreu aos nosso infelicitados irmãos venezuelanos.
DESCRIÇÃO MAIS DETALHADA DA SITUAÇÃO:
O atual processo, totalmente automatizado por meio de urnas eletrônicas, embora a divulgação dos supostos benefícios, como a “rapidez na apuração e a eliminação de filas imensas”, apresenta inúmeros pontos sensíveis e comprovadas fragilidades que as tornam impróprias para a sua função precípua. Inclusive, recentemente, o próprio tribunal encarregado de organizar e fiscalizar as eleições realizou teste público do processo, dos softwares e dos equipamentos eletrônicos, tendo sido confirmados vários problemas que anteriormente haviam sido apontados por destacados especialistas. A resposta do referido tribunal foi de que os problemas constatados seriam corrigidos a tempo para a eleição.
Implantado em 1996, o sistema, que não produz nenhuma contraprova física do voto efetuado, revelou-se absolutamente inconfiável. Desnecessário dizer que tal sistema coloca em risco a própria democracia, afrontando todos os processos de transparência e compliance exigidos no trato da “coisa pública”, especialmente na escolha de representantes do Poder Legislativo e do Poder Executivo, que conduzirão o país, os quais, via de regra, devem satisfações ao povo.
Apesar disso, o Tribunal Superior Eleitoral – TSE – mesmo diante das comprovações já citadas, insiste irracionalmente na tese da inviolabilidade das urnas eletrônicas. Afirmações deste tipo são sabidamente disparatadas, porquanto até sistemas muito mais complexos e protegidos são invadidos diariamente por hackers, a partir de qualquer lugar do planeta.
Adicionalmente, outros problemas apresentam-se, como o descumprimento da lei pelo próprio órgão que deveria fiscalizá-la, processos viciados de seleção de empresas prestadoras de serviços e custos exorbitantes de equipamentos e serviços.
Em 29/09/2015, foi publicada a Lei 13.165 que obriga à instalação de impressoras nas urnas eletrônicas para a emissão da prova física do voto. Passados dois anos, o referido tribunal não adotou nenhuma providência para o cumprimento desta lei. Não foi efetuada qualquer providência orçamentária e muito menos se adotou qualquer providência relativa à identificação e homologação de equipamentos de impressão e respectivas licitações e testes de campo, somente iniciando tais tratativas a partir de novembro de 2017, em face das crescentes pressões que o Convergências e outros grupos exercem sobre o TSE. Inclusive, somente foi possível adotar alguma providência emergencial por força da pressão que se exerceu sobre a comissão do Congresso Nacional encarregada de autorizar adições ao Orçamento da União, com a destinação de aproximadamente R$ 250 milhões para esta finalidade.
O TSE afirmava que não havia fundos suficientes para a aquisição de 600 mil urnas com impressora ao custo de R$ 2,5 bilhões (cerca de US$ 800 milhões), porém diante da pressão da sociedade, que reuniu as informações corretas e provou que não seria necessário fabricar novas urnas, mas tão somente acoplar impressoras às existentes, o TSE obrigou-se a adotar a alternativa apontada. Entretanto, evitando implantá-las em sua totalidade, o então Presidente do TSE, Ministro Gilmar Mendes, anunciou a aquisição de somente 30 mil impressoras, o que corresponde a cerca de 5% do total de urnas, segundo ele, porque não haveria tempo hábil para a aquisição de todas as 600 mil impressoras.
Neste ponto desejamos destacar que a utilização de impressoras em somente 5% das urnas é um flagrante desrespeito ao direito constitucional brasileiro de igualdade dos cidadãos perante a lei, pois 95% dos eleitores não poderão ter a contraprova física do voto efetuado. Isto significa que dado o voto não há nenhuma certeza a quem ele foi destinado a não ser aquela que aparece na tela da urna eletrônica. Não há qualquer forma de conferir a votação. Viola frontalmente e de forma principal o Princípio da Transparência, obrigatoriedade instituída no artigo 37 de nossa Constituição Federal, que exige a publicidade, impessoalidade e legalidade dos atos administrativos praticados pelo Estado. A contagem dos votos é um ato administrativo e, portanto, deve ser público. O escrutínio atualmente, desde 1996, é secreto, pois é realizado eletronicamente no interior de cada urna, em cada seção eleitoral, emitindo-se um “boletim de urna” já com todos os votos contabilizados. Há ainda possibilidade fraudes na transmissão dos dados aos tribunais regionais (em cada estado) e ao Tribunal Superior Eleitoral na Capital Federal bem como, na totalização de cada um desses receptores, conforme a natureza da eleição, se de âmbito estadual ou nacional. Sem a contraprova física, é impossível se promover recontagens.
A solução é, claramente, a adoção do voto em cédula, com contagem pública dos votos após o encerramento do pleito em cada seção eleitoral. Cada uma, tendo uma média baixa de eleitores – cerca de 200 a 400 eleitores – torna muito fácil e rápida a contagem pública e emissão do respectivo boletim, distribuindo-se cópias para todos os presentes em cada seção, sejam fiscais de partido e candidatos, sejam eleitores comuns. Com a publicidade de tais boletins, cria-se um espelhamento de resultados, ampliando a transparência e mitigando a possibilidade de fraude. E ainda restarão os próprios votos armazenados na urna de lona, lacrada, para eventual recontagem. Tal como é feito no Japão, Alemanha e EUA, só para citar alguns. Os agentes públicos – que exigem que “tenhamos fé pública neles” – embora o Estado seja laico e não se pode misturar uma exigibilidade legal com profissão de fé – acusam o sistema do voto em cédula de anacrônico, porém, na verdade, é muitíssimo mais confiável do que as atuais urnas eletrônicas.
Não somente para o Convergências, mas para quase toda a sociedade brasileira, tornou-se evidente que o referido Ministro, Presidente do TSE até o fim do mês de janeiro/18, evitou a todo custo cumprir a lei. O atual presidente, Ministro Luiz Fux pretende seguir em idêntica direção. Ora, esta situação configura-se como prevaricação por altos servidores do Estado Brasileiro, isto é, o descumprimento de função pela qual são responsáveis. O fato em si já seria preocupante caso se aplicasse a servidores comuns, mas quando tais comportamentos partem de servidores de tão alta corte, PROTEGIDOS POR ELES MESMOS, QUE FAZEM PARTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, indicam sinais graves de disfunções no sistema político. Caso persista tal situação absurda, a tendência é a degeneração do sistema, podendo gerar crise aguda e profunda no país, nos levando à situação catastrófica da Venezuela.
Foram detectados problemas graves também no gerenciamento dos custos dos equipamentos. O custo unitário de cada impressora, apresentado pelo TSE, situa-se em R$ 2.000,00 (US$ 533,00). Todavia, levantamentos realizados por especialistas componentes do Convergências, além de outros não ligados a ela, descobriram que este valor supera em dez vezes o preço de mercado de equipamentos equivalentes. Se considerarmos que normalmente a aquisição em grandes lotes tende a reduzir o preço unitário, é certo que o custo de cada uma delas poderá ficar entre R$ 200,00 (U$ 53,00) e R$ 400,00 (US$ 106,00), uma drástica redução de custos. Embora se tenha conseguido aprovar no Orçamento Geral da União, via Congresso Nacional, uma verba destacada de R$ 250 milhões (Cerca de US$ 66 milhões) que serviria para fabricar todas as cerca de 600 mil impressoras, o recurso não foi solicitado pelo TSE.
Diante desta conjuntura, o Convergências adotou diversos procedimentos para exigir das referidas instituições e autoridades responsáveis o cumprimento correto e cabal da lei para que todo o processo eleitoral seja plenamente transparente nas eleições que ocorrerão no ano corrente.
Visando reagir a estes desmandos e ilegalidades, o Convergências efetivou diversas medidas, entre elas o ingresso com ações na Justiça Federal. Uma delas é uma Ação Popular que exige que o voto possa ser exercido por meio de cédulas de papel nas seções nas quais as urnas eletrônicas não disponibilizem equipamento de impressão de voto, para fins de conferência prévia do eleitor, antes da confirmação final do processo de votação, permitindo, dessa maneira, se necessário, ação de auditoria.
Ainda que a impressão do voto permita a conferencia posterior, devido a contraprova física, incorrer-se-á na quebra de direitos constitucionais caso o TSE mantenha-se na disposição ilegal de disponibilizar impressoras de votos somente para uma parcela mínima de urnas eletrônicas. Por esta razão ingressou-se com a referida Ação Popular exigindo a disponibilização de cédulas de papel e urnas de lonas para os restantes 95% das seções eleitorais. Outras ações como a da Associação Pátria Brasil e Instituto Resgata Brasil exigem o direito de escrutínio público, com base no princípio constitucional da publicidade dos atos públicos.
Cercadas, as autoridades ensaiam suspender os efeitos da Lei que introduziu a obrigatoriedade da impressão do voto, promulgada ainda em 2015, conforme citado acima, por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal, mesmo após Carta do Convergências protocolada e entregue à Sra. Procuradora Chefe, Dra. Raquel Dodge, na qual solicitamos providências contra os desmandos do Ministro Gilmar Mendes, então presidente do TSE e informamos sobre as ações da Sociedade na Justiça Federal. Em uma estranha coincidência, o ministro do STF sorteado foi nada mais, nada menos que o próprio Ministro Gilmar Mendes, simultaneamente membro do TSE e do STF (de fato, a estruturação o Judiciário Brasileiro é muito tendenciosa). Além da inusitada ação, que vai contra os interesses da população, contra a necessária transparência devidamente inscrita na Constituição Federal (art. 37), depõe também contra o Princípio da Anualidade (art. 16 da Constituição) que proíbe alteração ou imposição legislativa sobre processo eleitoral em prazo inferior a 12 meses antes das eleições seguintes. Para agravar mais ainda o quadro de imoralidade e ilegalidade também neste processo, o relator da medida proposta pela Procuradora Geral da República é o próprio ministro Gilmar Mendes, quem presidiu até fevereiro/18 o TSE, estando, por lei, impedido de julgar matéria na qual seja ou tenha sido parte, o que está sendo desconsiderado pelos demais ministros do Supremo Tribunal Federal. Ou seja, as autoridades do Judiciário estão desrespeitando frontalmente e sem nenhum pudor, a própria legislação e Constituição que juraram defender, além da obrigação de ofício de assim proceder.
Os fatos que desabonam toda e qualquer licitude republicana se multiplicam perpetrados por agentes públicos cada vez mais desprovidos de pudores. O Ministro Gilmar Mendes, que presidia o TSE, deslocou seu ex-assessor direto para ser nomeado como Diretor de Assuntos Técnicos e Jurídicos do Senado Federal, onde tem, contra ele, processos de pedido de impeachment por diversos motivos. Os processos de impeachment que são responsabilidade constitucional do Senado da República prescindem de um parecer técnico-jurídico exatamente desta Diretoria, para a qual, seu ex-assessor foi nomeado. A Nação encontra-se escandalizada.
Embora já exista legislação que obrigue a disponibilização de cédulas de papel e urnas de lona em todas as seções eleitorais para o caso de falha em alguma urna eletrônica, o TSE tem insistido em alternativas que implicam enormes custos, como a aquisição de urnas totalmente novas nas quais já venham acopladas as impressoras de votos. Essa insistência, supõe-se, se deve à tentativa de criar uma cortina de fumaça para dissimular a verdadeira intenção, que é manter o sistema atual exatamente como está: passível de fraude. Na última eleição a conferência de votos foi realizada por um grupo do próprio TSE e sem acesso a qualquer outro cidadão; a conferência foi secreta e dirigida pelo próprio Ministro Dias Toffoli, ligado ao Partido dos Trabalhadores (PT), organização que atualmente sofre enorme contestação da sociedade brasileira, em face de muitos de seus membros estarem presos e processados pela Operação Lava Jato. Não houve nenhuma transparência naquela apuração e totalização dos votos ao segundo turno das eleições à Presidência da República, fato ocorrido em 2014.
Espera-se agora, que a Justiça Federal acate as medidas judiciais propostas pela Sociedade. Desta forma, além de igualarem-se todos os eleitores nos seus direitos constitucionais, teremos cem por cento dos votos com a contraprova física para fins de eventuais auditorias.
Informamos ainda, que uma Sugestão Legislativa ao Senado (nº 39/17) que ultrapassou as 20 mil assinaturas em curtíssimo espaço de tempo, apresentada por um dos membros do Conclave pela Democracia (que integra a Convergências), foi rejeitada pela Relatoria e pela Comissão de Direitos Humanos do Senado (https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/02/cdh-rejeita-sugestao-do-retorno-ao-voto-em-cedula), sob a justificativa de que o voto impresso está aprovado. Ou seja, o Povo está sendo cerceado do seu direito à transparência do processo de votação no Brasil. Acreditamos que as organizações internacionais que lutam contra a corrupção no mundo, buscando a transparência dos atos públicos, deveriam tomar conhecimento desta grave situação no Brasil, razão pela qual, emitimos esta nota, que vai assinada por Movimentos e Ativistas Civis em Convergências.
Sendo o que se tinha para o momento, esperamos que esta DENÚNCIA seja amplamente divulgada e que a OEA considere a necessidade de exigir das autoridades brasileiras, o cumprimento da lei e da Constituição, as quais, estão alinhadas com os Tratados Internacionais como o do Pacto de San José de Costa Rica, da Carta de Direitos Humanos da ONU e da Carta Democrática Interamericana, aprovada na Assembleia Geral da OEA em 2001, ao que, nos colocamos à inteira disposição para maiores esclarecimentos que se façam necessários.
Com os melhores cumprimentos,
CONVERGÊNCIAS
Movimentos Civis pelo Brasil
Thomas Korontai
Coordenador
Movimentos e Instituições Signatárias (Em ordem alfabética):
Acampamento LAVA JATO
Bloco Movimento Brasil
Chega de Impostos
Curitiba Contra Corrupção
Direita Boa Esperança Do Sul
Direita Franca
Direita Guariba
Direita Jaboticabal
Direita Minas
Direita Minas – Bambuí
Direita Minas – Bom Despacho
Direita Minas –Borda da Mata
Direita Minas – Cambuquira
Direita Minas – Capitão Enéas
Direita Minas – Contagem
Direita Minas – Felisburgo
Direita Minas – Governador Valadares
Direita Minas – Itabira
Direita Minas – Ituiutaba
Direita Minas – Juiz de Fora
Direita Minas – Lavras
Direita Minas – Montes Claros
Direita Minas – Ouro Fino
Direita Minas – Paracatu
Direita Minas – Patos de Minas
Direita Minas – Poços de Caldas
Direita Minas – Ribeirão das Neves
Direita Minas – Samonte
Direita Minas – Santa Rita do Sapucaí
Direita Minas – Sete Lagoas
Direita Minas – Três Corações
Direita Minas – Uberaba
Direita Minas – Varginha
Direita Morro Agudo
Direita – Orlândia
Direita – RM Ribeirão Preto
Direita – São José (SJC/SP)
Direita Sertãozinho
Endireita Pernambuco
Instituto Legislação e Vida
Liga Federalista Nacional
Movimento Avança Brasil
Movimento Federalista
Movimento Rua Brasil
Resistência Popular SM
UNATRANS – União Nacional dos Transportes Rodoviários e Autônomos
Ativistas Independentes SP
BrasileirOS.brOS
Conclave pela Democracia
Direita ABC
Direita Cravinhos
Direita Guaíra
Direita Ilha Bela
Direita Litoral
Direita Minas – Alfenas
Direita Minas – Betim
Direita Minas – Bom Repouso
Direita Minas – Cambuí
Direita Minas – Campanha
Direita Minas – Carandaí
Direita Minas – Córrego do Bom Jesus
Direita Minas – Frutal
Direita Minas – Ipatinga
Direita Minas – Itajubá
Direita Minas – João Monlevade
Direita Minas – Lafaiete
Direita Minas – Luminárias
Direita Minas – Nepomuceno
Direita Minas – Ouro Preto
Direita Minas – Passos
Direita Minas – Perdões
Direita Minas – Pouso Alegre
Direita Minas – Rio Pardo
Direita Minas – Santa Luzia
Direita Minas – São Domingos da Prata
Direita Minas – Teófilo Otoni
Direita Minas – Três Pontas
Direita Minas – Uberlândias
Direita Minas – Viçosa
Direita MS (Mato Grosso do Sul)
Direita – Pontal
Direita – RMVale
Direita São Paulo
Direita Ubatuba
Instituto Federalista
Instituto Liberal Acorda Brasil
Marcha Cívica
Movimento Direita Ceará
Movimento juntos Pelo Brasil
NasRuas
São Paulo Conservador
Voz da Liberdade
 
A carta em inglês:   Letter to OAS – Convergencias
 
 
Compartilhe isso:
    • Facebook
    • Twitter
    • Email
    • WhatsApp
    • 
Previous
MOVIMENTOS EXIGEM QUE AGU E STF INTERVENHAM PARA SUBSTITUIR GILMAR MENDES
Next
EDITORIAL – STF NOVAMENTE AFRONTA A LEI, O SENSO COMUM E A CONSTITUIÇÃO
3 Comentários 
    1.  
       Mirimar 
       5 de junho de 2018 em 22:18 
       Urgente Isso. O povo consciente da direita exige o voto impresso. É lei, é dever do Estado e direito do cidadão.
       Responder 
    2.  
       Jair das NEVES LOURENÇO BARBEIRO 
       6 de junho de 2018 em 11:50 
       Concordo integralmente com o documento acima onde os direitos do povo está sendo tolhido por pessoas que não consigo entender o interesse em tornar a votação e apuração transparente ‘ hoje não são..
       Responder 
    3.  
       Prof. Padilla pesquisador transdisciplinar na UFRGS Faculdade de Direito 
       7 de junho de 2018 em 05:15 
       Magnífica atitude! Sugiro também uma releitura, pela abordagem transdisciplinar, à luz dos 4 planos de atividade humana e do uso das emoções pelos psicoPaTas na criação de uma entourage psicoPaTeta: http://bit.ly/1mundomelhor
       Responder 
Deixe uma resposta 
Seu email não será publicado.
Comentário

Nome*

E-mail*

Website


 Notifique-me sobre novos comentários por e-mail.
 Notifique-me sobre novas publicações por e-mail.
Pesquisar por:  


Convergências na Mídia
    •  
      Convergência repercute no jornal O GLOBO 
      27 de setembro de 2016 0 
Notícias recentes
    • O OBSERVADOR INDEPENDENTE – “ELEIÇÕES 2018 – CAMINHO SEM VOLTA” 
    • A BEM DA VERDADE: BRASIL É O ÚNICO PAÍS COM URNA ELETRÔNICA SEM CONTRAPROVA FÍSICA 
    • EDITORIAL – STF NOVAMENTE AFRONTA A LEI, O SENSO COMUM E A CONSTITUIÇÃO 
    • TSE DENUNCIADO NA OEA COM CARTA DO CONVERGÊNCIAS 
    • MOVIMENTOS EXIGEM QUE AGU E STF INTERVENHAM PARA SUBSTITUIR GILMAR MENDES 
Comentários
    • Valdemar Cardoso loksinger em MOVIMENTO NACIONAL PELA CONTAGEM PÚBLICA DO VOTO
    • José Adriano Silva em VOCÊ PODE PRESSIONAR O SEU JUIZ ELEITORAL PELA CONTAGEM FÍSICA DOS VOTOS
    • Márcio Antônio Martins em EDITORIAL – STF NOVAMENTE AFRONTA A LEI, O SENSO COMUM E A CONSTITUIÇÃO
    • Marilene d' Ottaviano em CARTA DE GENERAL DO EXÉRCITO PARA A PGR E AO TSE
    • Maria Elizabete Souza Terrana de Carvalho em CARTA DE GENERAL DO EXÉRCITO PARA A PGR E AO TSE
Copyright © 2018 | WordPress Theme by MH Themes
==//==
SOURCE/LINK: http://www.vianoticias.blog.br/mpf-denuncia-sergia-miranda-fraude-na-simcol-deve-investigar-caio-asfor/
MPF denuncia Sérgia Miranda por fraude na Simcol e deve investigar Caio Asfor
Novembro 27, 2017 Walter Bardawil

Escritórios “Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria” e “Rocha, Marinho e Sales” estariam ligados por meio de laranjas
O Ministério Público Federal (MPF), através do vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, ofereceu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) denúncia crime contra a desembargadora cearense Sérgia Maria Mendonça Miranda por fraude envolvendo a massa falida da Simcol.
Ela despachou liminar e ordenou, indevidamente (em um de seus plantões), o pagamento de cheque no valor de R$ 1.119.932,01 (hum milhão, cento e dezenove mil, novecentos e trinta e dois reais e um centavo) ao escritório “Sampaio e Tavares Advocacia e Consultoria”, que, na época, em maio de 2013, havia prestado serviços advocatícios à empresa.
Além de Sérgia, estão enrolados Frankraley Oliveira Gomes – namorado da desembargadora à época -, Paulo Fernando Mendonça e Cláudia Adrienne Sampaio de Oliveira.
Confira trecho da denúncia do MPF

Parceria Laranja
A SIMCOL teria sido também prejudicada, de forma criminosa, através de outra liminar  da mesma desembargadora. A empresa foi forçada a efetuar o pagamento  de valores altíssimos (superiores a R$ 1 milhão) ao escritório de advocacia “Rocha, Marinho e Sales”, pertencente ao advogado Caio Asfor. 
O pagamento se deu por meio de um “laranja” ligado ao escritório “Sampaio, Tavares Advocacia e Consultoria”.  
A denúncia  foi encaminhada ao ministro do STJ, Herman Benjamin, pelo empresário Gilberto Martins Borges, sócio majoritário e representante da empresa falida.
Documento de Gilberto Borges

==//==
==//==

SOURCE/LINK: http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=BR106929


 Apoie esta causa e assine o Abaixo-Assinado. Se nada fizer, nada mudará. 

Impeachment de Toffoli, Gilmar Mendes e Lewandowski - Aplicação da LEI Nº 1.079, DE 10 DE ABRIL DE 1950. Não ao Grande Acordo Nacional - Com Supremo e Tudo
Leia o texto Impeachment de Toffoli, Gilmar Mendes e Lewandowski - Aplicação da LEI Nº 1.079, DE 10 DE ABRIL DE 1950. Não ao Grande Acordo Nacional - Com Supremo e Tudo, preencha os dados e carregue no botão assinar abaixo-assinado para contribuir para a mudança.
Preencha o formulário automaticamente com o seu account de Facebook:
Assine com o seu Facebook


ou preencha manualmente o formulário de assinatura:

Nome Completo (*)

Email (*)

CPF
 
Identidade
 
Comentário

(*) - (campos obrigatórios)
Aceito que o Petição Pública Brasil me contacte para abaixo-assinados do mesmo género e para campanhas publicitárias deste ou de terceiros nos termos da nossa política de privacidade.
 



Já assinaram este Abaixo-Assinado
84.537 Pessoas 

A internet é uma das ferramentas mais importantes da liberdade de expressão na sociedade de hoje. O direito de abaixo-assinado pode considerar-se como um dos mais antigos direitos fundamentais dos cidadãos e também dos mais antigos métodos da democracia.Petição Pública Brasil 

Os abaixo-assinados são uma das formas mais eficazes de nos fazermos ouvir.Camila Cardoso 

Assine o Abaixo-Assinado e mostre que apoia esta causa. Ao agirmos juntos teremos mais força e maior facilidade em sermos ouvidos.

Manifeste a sua opinião. Participe. 
O site Petição Pública Brasil, respeita a sua privacidade e as normas no tratamento de dados pessoais.
 
    • Facebook 
    • GooglePlus 
    • Twitter 
    • RSS 
O direito de petição pode considerar-se como um dos mais antigos direitos fundamentais dos cidadãos face ao poder político, encontrando-se constitucionalmente assegurado pelo art. 5.º, XXXIV, "a", da Constituição Federal de 1988 nos seguintes termos: "o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder". 
    • Sobre Nós 
    • FAQ
    • Política de Privacidade 
    • Termos e Condições
    • Ajuda 
    • Contato
Petição Pública Brasil © 2018. Todos os Direitos Reservados. 



      THE END

Nenhum comentário:

Postar um comentário